Playback speed
×
Share post
Share post at current time
0:00
/
0:00
Transcript

Falsos-cristaos-parte2-legendado

Fake-ass Christians part 2

Thanks to Manny & Monica for providing the translation.


Às vezes parece haver um bug que suprime o recurso picture-in-picture (PIP) quando este site é acessado através de um link. O recurso PIP está disponível no canto inferior direito do vídeo acima.

Além disso, o aplicativo substack parece suprimir o recurso PIP na maior parte do tempo, então não sugiro usá-lo. Recomendo acessar este site diretamente através de um navegador da web, SEM clicar em um link. Basta digitar whatonearthishappening.wtf na barra de endereço do navegador e o PIP deve funcionar.

Usar o recurso PIP é a melhor forma de assimilar as informações deste site, na minha opinião, pois você pode rolar até o vídeo enquanto lê. OBS: você também deve ativar o recurso PIP nas configurações do seu navegador.

Original video on youtube

Original video on bitchute

Original video on odysee

Original video on rumble

Fake Ass Christians Part 2 Portuguese
622KB ∙ PDF file
Download
Download

Parei em uma seção que falava sobre que raio as pessoas estão adorando?

Quero avançar para as palavras recentes do Papa Francisco sobre os libertários. Recentemente, o Papa fez os seguintes comentários sobre libertarianismo, a filosofia que geralmente diz: quero ser deixado em paz, exercer meus direitos e viver como um indivíduo livre, e deixar os outros fazerem o mesmo. Isso é essencialmente o que é libertarianismo: comportamento voluntário, comportamento não coercitivo, viver e deixar viver.

Segue o que o atual Papa disse sobre os libertários e o libertarianismo. “Não posso deixar de falar dos graves riscos associados à invasão do individualismo libertário nas altas camadas da cultura e da educação.

Uma característica comum desse paradigma equivocado é que ele minimiza o bem comum. O libertarianismo é uma forma mais radical de individualismo que afirma que apenas o indivíduo dá valor às coisas e às relações interpessoais, e, portanto, apenas o indivíduo decide o que é do bem e do mal.

O libertarianismo prega que a ideia de autocausação é necessária para fundamentar a liberdade e a responsabilidade individual. Assim, o indivíduo libertário nega o valor do bem comum. Por um lado, ele supõe que a própria ideia de comum significa a restrição de pelo menos alguns indivíduos e, por outro lado, que a noção de bem priva a liberdade de sua essência.

O libertarianismo é uma radicalização antissocial do individualismo, que leva à conclusão de que todos têm o direito de se expandir tanto quanto suas habilidades permitirem, mesmo ao custo da exclusão e marginalização da maioria mais vulnerável.

Segundo essa mentalidade, todas as relações que criam vínculos devem ser eliminadas, pois limitariam a liberdade, e apenas vivendo de forma independente dos outros, do bem comum e até mesmo de Deus, uma pessoa pode ser livre”.

Vocês conseguem imaginar as mentiras absolutamente fraudulentas que estão embutidas nessa crítica? Esse cara não é cristão, ele é um lixo repugnante, tentando convencer as pessoas de que uma simples filosofia de viver e deixar viver é uma ideologia de puro egoísmo e individualismo desenfreado, e dizendo que eles acreditam que o que decidem é bom e mau. Não é assim que libertários e anarquistas pensam, de jeito nenhum.

Eles acreditam que existe um padrão de moralidade e que as pessoas não devem infringir os direitos e a liberdade dos outros, porque é imoral.

Esse cara não saberia nada sobre isso, porque ele é um protetor imoral de pedófilos. Antes de encerrar esta parte da apresentação, quero lançar um desafio ao nosso chamado Papa.

Venha para Filadélfia e vamos para a arena, onde a antiga arena da ECW está, e me encontre na jaula e resolveremos nossas diferenças dessa maneira. Desafio o Papa para uma luta de MMA, porque Deus sabe que ele não pode me vencer filosoficamente. Nem seria um desafio. Darei a ele uma pequena chance ao lutar dessa forma.

Entender o oculto é um dos aspectos críticos de realmente estar espiritualmente acordado.

Precisamos parar de pensar sobre essa noção de que o oculto é algo maligno e entender que é conhecimento escondido.

A palavra oculto deriva do latim occultus, que significa escondido. É o estudo das leis ocultas da natureza, aquelas que estão em ação no domínio invisível, mental, espiritual. Muito mais do que aquelas que estão em ação no mundo visível ou físico.

Portanto, o ocultismo envolve a aceitação de uma visão de mundo muito mais ampla do que aquela comumente adotada pela pessoa comum. O ocultista pode ser definido como aquele que estuda todas as leis da natureza, tanto aquelas que são facilmente vistas quanto aquelas que são muito mais difíceis de ver apenas com os olhos ou instrumentos de medição.

Ao saber como a ciência dessas leis maiores funciona, o ocultista deve então decidir se trabalhará em harmonia com essas leis e ajudará a criar luz, ordem e liberdade, ou se lutará contra essas leis e se juntará às forças da escuridão e do caos.

Ao contrário do que os falsos cristãos lhe dirão, um verdadeiro cristão não fugirá do estudo do ocultismo. Entender o ocultismo é compreender o funcionamento da lei moral universal, para não criar sofrimento autoinfligido e caos em nossas vidas ou no mundo.

O ocultismo genuíno é uma ciência baseada no conhecimento. Não é um sistema baseado em crenças ou uma religião. Ninguém pode se considerar iluminado sem compreender a lei natural, que faz parte dos estudos ocultos, quer alguém concorde ou não.

Compreender a lei natural significa entender que o certo e o errado estão literalmente embutidos no tecido e na inteligência da criação. A existência dessas leis ocultas e a compreensão de como elas funcionam é a base da verdadeira moralidade.

A lei natural governa a escolha comportamental e traz consequências para o comportamento, tanto positivas quanto negativas. O conhecimento de como essas leis morais universais funcionam nos permite controlar os efeitos que experimentamos com base nas nossas ações.

Temos livre arbítrio para escolher nosso comportamento, mas não podemos nos isentar das consequências de nossas ações. Cada escolha carrega consigo uma consequência, e a humanidade inevitavelmente experimentará as consequências de nossas escolhas agregadas. Este conhecimento é o que o ocultista sombrio está trabalhando para subverter.

Os manipuladores usam seres humanos para realizar suas ações malignas, mas aqueles que são manipulados não escaparão das consequências cármicas porque realizaram ações prejudiciais e, portanto, são responsáveis pelo dano resultante. É por isso que os seres humanos devem investigar essas leis ocultas e espirituais.

É o conhecimento que seu inimigo está usando para conquistá-lo e, simultaneamente, o único conhecimento que o libertará de sua servidão. Aqueles que não entendem o ocultismo não estão acordados de verdade e certamente não são verdadeiros cristãos.

O livro de Oseias, capítulo 4, diz: " O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos."

Uma citação do Antigo Testamento. E de Coríntios, do Novo Testamento: "Porque as armas da nossa guerra não são carnais." As armas desta guerra espiritual estão no domínio mental. Estão no domínio do conhecimento e é como ele está sendo usado contra nós.

A importância de entender o ocultismo continuou. Um fator primário que impede as pessoas de acordarem é a falta de compreensão do conhecimento oculto.

Os falsos cristãos carecem desse fator essencial do verdadeiro despertar espiritual. Devemos entender que os ocultistas sombrios são essencialmente psicólogos antigos que usam seu conhecimento da psique humana contra aqueles que permanecem ignorantes sobre como a mente funciona.

Devemos aprender o mesmo conhecimento oculto que a classe dominante entende sobre o funcionamento da psique humana e como ela pode ser manipulada. E é isso que o ocultismo realmente é. Desocultar esse conhecimento e trazê-lo à tona para que todos possam ver, ouvir e entender é a única coisa que tem o potencial de nivelar o campo de jogo a favor da liberdade humana.

Os antigos engenheiros sociais que projetaram o sistema mundial de escravidão são os mesmos da classe sacerdotal que inventaram as falsas religiões exotéricas. São os mesmos que inventaram e usaram a mídia, passada e presente, com o propósito de controlar a mente dos ingênuos e ignorantes.

Esta imagem é uma representação do ritual que ocorre anualmente nos bosques de sequoias da Califórnia chamado Bohemian Grove, e o ritual é conhecido como a cremação do cuidado. Eles estão literalmente imolando o cuidado. Eles chamam isso de cuidado estúpido. Eles querem destruir a empatia que um humano normal sentiria ao realizar o trabalho maligno que fazem. Portanto, o ritual é a queima da própria consciência. Isso é o que simboliza. A imolação da consciência.

Esses ocultistas dirão, não há nada para ver aqui. Absolutamente nada. São apenas os poderosos do mundo se reunindo no mesmo lugar. Magnatas da mídia, figuras do entretenimento, chefes de empresas multinacionais do mundo todo, todos reunidos, todos planejando e conspirando juntos sobre como aumentar sua esfera de influência e controle.

Tudo não relatado pela mídia tradicional, que diz para você olhar para o outro lado. Não preste atenção nisso. Bilionários se reunindo no mesmo lugar em rituais estranhos, distorcidos e demoníacos. Não é nada demais.

Tanto as religiões exotéricas culturais quanto a mídia farão de tudo para descartar qualquer investigação sobre o ocultismo, como se fosse bobagem ou maldade, para que você não a estude, dissuadindo o público da descoberta de qualquer aspecto do conhecimento oculto.

Consciência: o único caminho para a liberdade.

A classe dominante oculta e sombria fornece religião exotérica para as massas para afastá-las da verdade espiritual esotérica da lei natural. Esses ocultistas sabem que a ocultação da lei natural sempre será o que mantém as massas escravizadas e a classe dominante no controle.

Sob a lei natural, a lei da liberdade, como a chamo, governa eternamente o estado de liberdade de qualquer sociedade em qualquer lugar do universo. A lei da liberdade afirma que, à medida que a moralidade aumenta no agregado de qualquer população de almas, a liberdade coletiva dessa sociedade também aumentará.

Por outro lado, à medida que a moralidade agregada de qualquer sociedade diminui, a liberdade dessa sociedade diminuirá proporcionalmente. Em outras palavras, à medida que a moralidade aumenta, a liberdade aumenta, e à medida que a moralidade diminui, a liberdade diminui. É assim que a lei natural funciona, você só precisa observar a experiência que estamos vivenciando.

Estamos ganhando ou perdendo liberdade?

E assim você saberá, em termos de porcentagem agregada, se estamos nos tornando uma população mais moral ou mais imoral. Acredito que o veredito seja claro.

Por isso, a única prescrição que Jesus deu para a liberdade nos escritos do Novo Testamento foi conhecer a verdade. Ele não pediu a ninguém para acreditar em nada. Não pediu que acreditassem que ele era o filho de Deus ou que o adorassem. Não pediu que acreditassem que ele era outra coisa senão alguém que entendia como a lei natural funcionava e tentava viver de acordo com ela. Não pediu a ninguém para criar uma religião em seu nome. Isso foi o que as pessoas depois de sua existência fizeram.

Ele se referia à verdade sobre nossa própria soberania individual, a verdade de que não há legitimidade na noção de autoridade terrestre, e conhecer a verdade da diferença entre comportamento certo, que não causa danos a outros seres vivos ou seus direitos ou propriedades, e comportamento errado, que causa danos a outros seres vivos ou seus direitos ou propriedades.

Esse conhecimento compreende a verdadeira consciência e é a única coisa que pode tornar a humanidade livre, de acordo com a lei da liberdade, que nunca pode ser desfeita ou evitada. À medida que a moralidade no agregado aumenta, uma sociedade se torna mais livre. À medida que a moralidade diminui, uma sociedade se torna mais escravizada.

Esse é o significado da figura de Jesus nas escrituras do Novo Testamento, que representa a consciência que é referida como o caminho, a verdade e a vida.

Isso não significa que ele seja algum Deus que precise ser adorado. Trata-se de seguir o exemplo estabelecido de acordo com a figura de Jesus no Novo Testamento. Esse é o caminho da liberdade, da verdade, da lei natural. O caminho para a vida e não para a morte, a destruição e o caos.

Fiz toda esta apresentação sobre o que o verdadeiro Cristianismo representa em oposição à variante falsa que as pessoas têm recebido.

Porque mesmo no sentido exotérico, considero o Cristianismo uma religião que deve ser mantida em um padrão moral mais elevado.

A base do verdadeiro Cristianismo é uma aspiração moral elevada incorporada na Regra de Ouro.

A Regra de Ouro desafia as pessoas a tratarem os outros da forma como gostariam de ser tratadas e a não violarem os direitos das outras pessoas, assim como você não quer os seus direitos violados. É por isso que considero a religião do Cristianismo, mesmo em suas muitas variantes exotéricas, como tendo padrões morais mais elevados do que todas as outras religiões do mundo, e por isso a escolhi para ser o foco desta apresentação em vez de qualquer outro sistema de crenças religiosas.

A Regra de Ouro é uma verdadeira representação de um nível mais elevado de consciência para aqueles que a adotam.

E é tão simples que chega a ser estúpido. Você não quer que algo prejudicial seja feito a você? Então não faça isso com outras pessoas. Essa é a versão apofática da Regra de Ouro.

Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem a você. E para expressá-la de forma positiva: trate os outros da maneira como gostaria de ser tratado. E ainda assim, a grande maioria das pessoas não consegue entender isso. Certamente, elas não estão adotando essa regra.

O Cristianismo e algumas de suas semelhanças com o Budismo.

O Budismo em sua forma exotérica compartilha muitos aspectos semelhantes ao Cristianismo em sua encarnação da figura salvadora solar de Buda, que em sua encarnação terrestre era conhecido como Siddhartha Gautama. Em seu estado puro, o Budismo é uma filosofia esotérica que ensina a lei natural por meio das Quatro Nobres Verdades, que são princípios que delineiam os fatores causais do sofrimento humano e o resultado que recebemos de forma experiencial no mundo real com base em nossas ações, que é o carma.

O Budismo também fala sobre o remédio pelo qual podemos aliviar esse sofrimento ao mudar nosso comportamento por meio da metodologia do Caminho Óctuplo. Isso é um entendimento da lei natural.

É o conhecimento dos fatores causais do sofrimento humano e o que podemos fazer para aliviá-lo ao mudar esses fatores no nível causal.

O verdadeiro Budismo explica como experimentamos exatamente aquilo que criamos, as consequências cármicas de nossos próprio livre-arbítrio. Em seu aspecto esotérico, pode-se dizer que o Budismo está em um nível de consciência semelhante ao do verdadeiro Cristianismo.

O Budismo na Nova Era, ou como gosto de chamar, o Movimento da Nova Gaiola.
Assim como existe o cristianismo falso, existem formas degradadas de Budismo que buscam incutir nas pessoas uma mensagem pseudoespiritual de total aceitação de tudo, até mesmo da injustiça, do mal e da escravidão.

O sistema de crenças religiosas da Nova Gaiola é essencialmente uma forma pervertida e fortemente modificada do Budismo.

Infelizmente, não existe tal coisa como meditar para alcançar a iluminação e a paz mundial.

Esse “Budismo” é uma forma de guerra psicológica que torna as pessoas observadoras inativas, impedindo-as de tomar qualquer ação no mundo real contra os malfeitores que estão violando seus direitos naturais e soberania.

Os Anos “Perdidos” de Jesus

Independentemente de a figura de Jesus do Novo Testamento ter sido uma pessoa histórica ou não, as histórias bíblicas sugerem que ele deixou sua terra natal, a Judeia, logo após sua infância, por muitos anos, antes de retornar à terra de seu nascimento e começar seu ministério espiritual.

Na mente dos iniciados espiritualmente, isso pode significar apenas uma coisa. Jesus viajou para o Egito durante seus chamados Anos Perdidos e foi iniciado no conhecimento da lei natural através das Escolas Misteriosas do Camaleão do Antigo Egito.

Assim como tentaram suprimir o ressurgimento das escolas de mistério que estavam sendo ensinadas em Alexandria, a nova religião estatal romana sancionada, o cristianismo oficial, ou Constantionismo, como chamo, começou a reprimir os primeiros cristãos verdadeiros, os Gnósticos.

As filosofias sobre as quais o cristianismo esotérico é baseado no antigo Egito antecedem os relatos do século primeiro antes de Cristo sobre Jesus por milhares de anos. O gnosticismo, que vem da palavra grega gnostikos, que significa possuir conhecimento, e que por sua vez é derivada do substantivo grego gnosis, que significa conhecimento, foi um sistema religioso dos séculos primeiro e segundo cujos seguidores do Antigo Testamento escreveram e praticaram uma forma pré-cristã da filosofia que Jesus estudou e ensinou.

Naturalmente, tal conhecimento esotérico teve que ser purgado do início do cristianismo exotérico por ocultistas sombrios e pela igreja primitiva, para garantir que o poder potencialmente transformador do gnosticismo não ganhasse uma posição de destaque no Império Romano e ameaçasse o poder da classe dominante.

Os escritos de Nag Hammadi e outros textos gnósticos, como o Pistis Sophia ou Sabedoria da Fé, continham ideias que os governantes da época certamente não queriam que se espalhassem.

Esses ensinamentos incluíam uma consciência do mundo “invisível”, ou o oculto, que englobava a existência de uma Lei Moral Cósmica que governa as consequências do comportamento baseado no livre-arbítrio.

Os gnósticos estavam ensinando e entendiam a lei natural no cerne de sua filosofia, expondo o governo do que os Gnósticos chamavam de Arcontes, os mestres, a classe dominante da Terra.

Algumas pessoas diriam que eram entidades não humanas, os Arcontes, que eram seres sutis hiperdimensionais ou extradimensionais ou até mesmo seres extraterrestres. Independentemente de sua natureza, o plano deles é o mesmo: controlar, dominar, manipular e escravizar. É por isso que gosto de chamar anarquia de Anarchani.

A palavra anarquia vem de An-ar-con, a ausência de mestres ou uma classe dominante. Não significa caos, como veremos. Rejeição de toda falsa autoridade arcontiana em favor da verdadeira autoridade da lei moral do criador universal. Isso é o que os gnósticos praticavam, pregavam e aceitavam.

Eles sabiam que não havia autoridade legítima no homem. Isso não existe. A única autoridade é a lei do criador. O conceito de que a verdadeira espiritualidade era, em última análise, acordar da ilusão mundana criada por pensamentos incorretos, irracionais e imorais.

Eles cunharam o conceito de acordar da ilusão. Ainda usamos esse termo em movimentos espirituais. Consequências cármicas acumuladas ao longo de várias vidas, que foram completamente apagadas dos escritos canônicos no Concílio de Niceia.

A existência de três tipos grupos distintos de alma humana.

Talvez esta seja uma das filosofias gnósticas mais interessantes, pois pode explicar por que temos tanta dificuldade em acordar as pessoas para a verdade. Eles consideravam esses três grupos de alma como diferentes classificações de espiritualidade dentro dos seres humanos.

O primeiro grupo era conhecido como Hílicos. Esta era a classe de seres humanos que se identificava completamente com o materialismo e os instintos básicos. Eles só se identificavam com o corpo físico e o mundo material. Eles eram espiritualmente inconscientes e seriam extremamente difíceis ou impossíveis de despertar, porque estavam muito enraizados no ego e na carne. Eles nem mesmo consideravam assuntos espirituais. Nunca pensaram sobre isso. Esses são os Hílicos.

Eles tinham um grupo de seres humanos que classificavam como psíquicos. As pessoas que tinham alguma forma de consciência espiritual. Eles estavam de alguma forma envolvidos na mente. Eles eram capazes de idealizar. Eles podiam ter processos de pensamentos conceituais. Mas eles só compreendiam a espiritualidade de uma perspectiva emocional simplificada, em vez de um lugar de conhecimento verdadeiramente enraizado, ou em outras palavras, ocultismo.

Os Gnósticos achavam que era possível acordar os psíquicos, mas com algum esforço. Você tinha que se esforçar muito. Eles eram indecisos, em outras palavras. Você poderia trazer o conhecimento para eles e eles ouviriam, pelo menos com a mente aberta, talvez considerassem, e talvez iriam avançar um pouco na consciência. Talvez você pudesse acordar alguns deles completamente.

E então alguns deles, não acordaram e voltaram para a ilusão. O terceiro grupo era conhecido como os pneumáticos. Adoro o nome. Vem da palavra grega pneuma, que significa espírito. Esses eram aqueles que estavam espiritualmente acordados.

Eles eram o grupo de alma de alta consciência. Eles eram escolhidos ou especialistas, que encarnavam para se tornar professores do conhecimento espiritual. Os pneumáticos.

Quantas pessoas já ouviram isso?. Um, dois, três. Três na sala.

Até as pessoas que estudam esse tipo de informação esotérica e espiritualidade. Está enterrada. Eles não querem que as pessoas entendam isso. A igreja antiga não queria que as pessoas entendessem isso. Certamente, a classe dominante não quer que eles entendam isso.

Quais outros horrores a igreja antiga cometeu, além da supressão dos gnósticos? O genocídio dos Albigenses. Um dos tratamentos mais brutais de pessoas em qualquer período da história. Foi de onde saíram algumas das torturas medievais mais implacáveis, de pessoas que se consideravam cristãs e santas.

O trabalho de expurgar conhecimentos espirituais inconvenientes e rivais certamente não se limitou à igreja antiga. A maioria das pessoas já ouviu falar das Cruzadas Cristãs da Idade Média. Essas campanhas militares incluíram a infame Cruzada Albigense do início do século treze.

A Cruzada Albigense foi uma campanha militar de 20 anos iniciada pelo Papa Inocêncio Terceiro para eliminar a seita cristã conhecida como Cátaros. É daí que vem a palavra catártico.

Os Cátaros estavam na região de Languedoc, no sul da França. Embora os Cátaros eram, poderiam ser considerados, uma seita mística extremista, eles realmente acreditavam na purgação do físico e na primazia do espiritual, o que era meio desequilibrado, e realmente levavam um estilo de vida muito místico.

Eles ensinavam contra a ideia de falsa autoridade sendo investida em quaisquer instituições mundanas, especialmente igreja ou Estado.

Você poderia considerar que eles eram anarquistas, ou pelo menos anárquicos. E estou lhe dizendo, as maneiras como eles foram torturados equivale ao reino dos pesadelos.

Aqui está o Papa Inocêncio, muito inocente. Ele disse: “Qualquer pessoa que tentasse interpretar uma visão pessoal de Deus, em conflito com o dogma da igreja, deve ser queimada sem piedade”. E ele não estava falando sobre ser queimado espiritualmente ou algo do tipo. Ele quis dizer queimada com fogo, até a morte. E eles queimavam as pessoas, as ensopavam de óleo e as incendiavam. Muito cristão da parte deles. Muito cristão.

Eles quebravam as pessoas na tortura, colocando-as em uma roda de tortura e quebrando seus ossos com martelos, ou esticando-as, acendendo fogueiras sob seus pés, queimando toda a pele de seus pés, até sangrarem.

A corda era outro instrumento de tortura medieval, em que os braços de uma pessoa eram amarrados atrás das costas e, em seguida, ela era içada por meio de um sistema de roldanas, com os braços atrás das costas e todo o seu peso, e acabava sufocando dessa forma. É como uma crucificação. Um comportamento muito cristão.

Acho que as almas que foram submetidas a essa tortura ainda não descansam. Ao entender algumas das histórias da região de Languedoc, no sul da França, essas almas ainda estão vagando em alguns casos e não estão em paz, devido ao tipo de tortura a que foram submetidas.

Foi isso que a igreja antiga e a igreja medieval fizeram. Falsos cristãos, se é que já foram cristãos. Quero fazer toda essa seção sobre ateísmo, porque não quero que as pessoas tenham a impressão de que sou ateu. Não sou um cristão tradicional. Sou um cristão esotérico. Sou uma pessoa que entende a lei natural e o ocultismo. Mas certamente não sou ateu.

Acho que o ateísmo é uma ideologia deplorável e infantil. É uma ideologia que diz que minha mente é tudo o que existe no universo. Não há nada mais elevado. Isso é tudo o que existe. A vida está ganha e pronta. Esqueça a consciência.

Esqueça que este é um reino de crescimento, experiência e aprendizado espiritual. Não. Apenas apaga as luzes em uma escuridão eterna. Bem, você é livre para acreditar nisso, certamente, por mais tola que eu ache essa crença.

Mas eu não acho que isso vá realmente ser algum tipo de incentivo para melhorar qualquer coisa, muito menos você mesmo. Certamente não a condição humana.

Em geral, ser ateu significa que o indivíduo acredita que não há Deus, criador ou poder superior. Ateus desconsideram a existência do domínio espiritual. Eles acreditam que o universo é apenas governado por leis físicas, que surgiram do nada, sem razão ou propósito.

Eles acreditam que não há leis espirituais que governam o comportamento. Eles acreditam que o universo é essencialmente um lugar aleatório e caótico. Portanto, cabe ao próprio homem impor ordem uns aos outros e domínio sobre a natureza. Ateus assumem a visão de mundo materialista e existencialista de que o mundo físico é tudo o que existe, e não há consciência além de nossa vida na Terra.

Ainda assim pessoal, e é por isso que os chamo de "estataístas", porque são quase invariavelmente estatistas. Não posso levar o crédito por isso. Meu baterista, Dan, foi quem inventou esse termo. Então, darei o crédito a ele. Pelo menos foi de quem ouvi primeiro. Não sei se ele inventou. Se inventou, é incrível. Quase todos os ateus são religiosos. Veja bem, só porque não aceitam um poder superior ou um Deus, não pense que eles não têm uma religião, porque os ateus têm uma religião, meus amigos. E essa religião se chama governo.

Quase todo ateu que conheço acredita devotamente nessa religião. Eles rezam no altar do governo, a religião mais perigosa da face da Terra, porque está firmemente enraizada na coerção e na violência. Eles também oram no altar do cientificismo, não da ciência verdadeira. Eles rezam no altar do cientificismo. Essa é a forma de “ciência” financiada pelo Estado, cujos decretos eles aceitam e acreditam com fervor religioso.

Os ateus têm suas religiões. Isso se chama governo e ciência, cientificismo. Não se enganem. A mentalidade ateísta é a morte do ‘importar-se’. Nessa visão de mundo, há pouco incentivo para melhorar a consciência ou a moralidade, e nenhum incentivo para acabar com a escravidão humana chamada governo.

Ateísmo é e sempre foi o caminho para a morte espiritual e é por isso que os governos e a classe dominante adoram o ateísmo. Eles adoram quando essa ideologia infecta a mente das massas. Essa também é a razão pela qual os ateus foram, são e provavelmente sempre serão proibidos de serem alunos em toda e qualquer escola de tradição misteriosa que já existiu na face da Terra.

E vocês provavelmente poderiam dizer: “Exceto este”. Tentarei ensinar um ateu, mas sem muita esperança. Não vou lhe dar muito tempo. Vou ser tipo: explicarei o que descobri, mas você quer continuar com esse discurso de que o homem é o maior poder da criação.

Vocês conhecem o velho ditado que diz que quem joga jogos bobos, ganha prêmios bobos? Vocês estão ganhando alguns prêmios bobos com essa mentalidade, porque a Terra está caminhando para uma completa tirania e escravidão.

E é com base nessas ideologias errôneas da religião, do dinheiro, do ateísmo, do cientismo, entre outros. A crença no governo e na autoridade. Todas são religiões.

Então eu digo: Deus nos salve deste ateu. As escolas da tradição mística consideravam os ateus completamente incapazes de aprender a verdade da lei natural e como ela funciona.

Os ateus não aceitam que estão sujeitos às leis espirituais universais, porque negam a existência do criador dessas leis. Os ateus acreditam que o homem é o mais alto poder na criação, razão pela qual foram considerados incultos por todas as escolas de pensamento filosófico esotérico na história humana, incluindo as Escolas de Mistério, incluindo a Maçonaria, incluindo o Rosacrucianismo, incluindo as escolas em Delfos, as antigas tradições místicas gregas em Delfos e Eleusis.

Todas essas tradições místicas excluíam os ateus de seus ranques. E diziam: ‘Volte quando aceitar que existe um poder superior ao do homem’. E isso ainda é feito hoje nas Lojas Maçônicas e nas Lojas Rosacruz. “Anarquistas ateus” frequentemente usam o slogan ‘sem deuses, sem mestres". Isso é bastante comum especialmente na arena punk rock.

Acreditem em mim, eu sei porque frequento muito essa arena, e há muitos ateus nela, muitos estatistas, estatistas fervorosos, esquerdistas fervorosos, comunistas fervorosos. E deixe-me dizer mais uma coisa sobre essa arena.

Niilistas.

Niilismo é muito comum na arena da música pesada em geral. Em qualquer tipo de música extrema ou pesada. Pessoas que dizem: a humanidade está ferrada, não se importem com nada. Eles dirão que sentem pena das pessoas que se importam com alguma coisa. Eu digo, você não entende. Não se importar em criar uma prisão para todos nós.

Essa é exatamente a dinâmica que vai te colocar em uma prisão. Não quero dizer uma prisão física, quero dizer uma prisão espiritual e uma prisão de tirania na Terra. Eles usam essa frase, ‘sem deuses, sem mestres’ insinuando que a lei natural da moralidade não existe.

Sem entender que um poder superior ao da humanidade existe, sem entender as consequências da lei natural, uma compreensão adequada da verdadeira moralidade nunca pode ser alcançada.

Ateus e outras pessoas que vivem em uma ignorância espiritual tão profunda inevitavelmente levarão o mundo a um caos ainda maior. A frase não deveria ser ‘sem deuses, sem mestres’. A expressão correta do que realmente é a anarquia é: ‘sem senhores, sem escravos’. Isso é o que é anarquia.

Falsos cristãos não sabem o que o satanismo realmente é. Eles têm essa imaginação de filme B de Hollywood do que o satanismo é como uma religião de fato. A cabeça deles está enfiada na bunda. E não adianta falar isso para eles.

Sempre falo: se você quer saber sobre o Islã, deveria procurar um imã em uma mesquita e perguntar sobre o Islã porque ele é um sacerdote dessa religião. Se quer saber sobre o judaísmo, deveria procurar um rabino judeu em uma sinagoga e perguntaria sobre o judaísmo, pois ele é um sacerdote dessa religião. Você quer aprender sobre o cristianismo exotérico, talvez deveria procurar um padre católico ou protestante em uma igreja e perguntar sobre a religião deles.

Eu era um sacerdote do satanismo. Fui sacerdote em um dos maiores corpos de satanismo público que existe na Terra, chamado Igreja de Satã, sob a direção de Anton LaVey, que me nomeou pessoalmente como sacerdote da Igreja de Satã. Portanto, é de se esperar que um ex-sacerdote saiba um pouco sobre os princípios e a doutrina da religião satânica, não é mesmo?

No entanto, os tais cristãos me dizem: ‘O que você está falando não é satanismo. Satanismo é a adoração desse ser que é esse demônio representado por Lúcifer que é o arqui-inimigo de Deus.’

Tento explicar a eles, ‘vocês não entendem, isso é mundano, é uma ideologia, uma forma de viver no mundo. O satanismo tem princípios e coisas que você faz, maneiras de se comportar e de pensar’.

Não se trata apenas de ir à floresta, acender fogueiras e sacrificar animais ou vestir roupas pretas. O satanismo não é isso. Faz parte da falsa crença cristã do que é satanismo. Tento expor o verdadeiro satanismo nos últimos 15 anos da minha vida. Estou dizendo, as pessoas ainda não entendem. Elas não aceitam isso de alguém que seja realmente um sacerdote da religião.

É como ter o livro de jogadas do outro time de futebol e levá-lo para o outro técnico e dizer: “Aqui estão todas as jogadas que eles vão executar”. E eles dizem: “Saia daqui!”

“Não quero saber. Vamos fazer isso do nosso jeito”.

Você não pode nem dar a eles o livro de jogadas. É o quão burro são. Os controladores ocultos sombrios manipulam as massas de pessoas dando-lhes sua mentalidade e sua religião.

Essa é a melhor forma para que elas continuem brigando e se enfraquecendo, para que seja mais fácil controlá-las e governá-las. Eles dão às pessoas pequenas variantes diluídas de sua própria religião e mentalidade. Eles ainda são os grandes chefes e os grandes sacerdotes dessa religião e ainda têm a grande mentalidade satânica. Eles dão às pessoas a mentalidade menor, porque a maior pode controlar a menor. Chamo isso de satanismo mini-eu. Esse é o meu termo para isso.

Eles são o Dr. Evil e dão ao público a versão mini-eu.

Uma compreensão do verdadeiro cristianismo. Para entender o verdadeiro cristianismo, você precisa entender qual é a sua polaridade...

Desculpe-me, erro no slide novamente. Peço desculpas.

Para entender o verdadeiro cristianismo, você precisa entender o que é oposto polar no satanismo. Falsos cristãos se recusam a entender o satanismo genuíno, mas um cristão autêntico tem conhecimento do ocultismo e pode discernir entre o ocultismo da luz e o ocultismo sombrio com base em como esse conhecimento está sendo usado.

Satanismo é uma antiga religião oculta composta por redes interconectadas diversificadas de adesão mundial. Em sua essência ideológica, aqui está o que o Satanismo realmente é. Essa religião postula que o conhecimento da psique humana e o conhecimento das leis do universo devem ser ocultados ou escondidos e mantidos apenas por alguns poucos seres humanos.

É muito mais preciso considerar os Satanistas e ocultistas sombrios em geral como psicólogos antigos, como tenho dito muitas vezes, que detêm e utilizam informações ocultas de maneiras que exploram aqueles que permanecem ignorantes dessas informações.

A crença em Satanás como uma divindade antropomórfica, em vez de um conjunto de valores impulsionados pelo ego e uma forma de ser no mundo, é um equívoco que leva as pessoas a uma falta de compreensão da verdadeira agenda do Satanismo e de seu controle e manipulação do nosso mundo, e levando-as a uma incapacidade de identificar o verdadeiro inimigo.

Foi assim que descrevi a rede do satanismo e do ocultismo sombrio em minha apresentação chamada Desmistificando o Ocultismo, Parte Dois, Satanismo e Ocultismo Sombrio. Você tem o público em geral que eles querem explorar e usar para cumprir suas ordens e fazer seu trabalho maligno e sombrio e, por isso, eles os levam para os escalões inferiores. Eles têm um sistema de verificação e filtragem de organizações ocultistas sombrias conhecidas publicamente.

Essas são organizações de nível muito baixo, nas quais eu estava envolvido. Não estou dizendo que eu estava lá em cima com a elite absoluta do mundo, porque não estava. Eu estava em um nível acima do público em geral, na base da pirâmide.

Igreja de Satã, Templo de Set, Ordem do Olho do Mal e e assim por diante.

Estamos falando de sistemas de infiltração de veteranos em que eles tentam identificar quais habilidades você tem, como você pode nos ajudar, como você pode fazer nosso grande trabalho do mal. Em seguida, você chega a um nível mais elevado, com as organizações financeiras, políticas, religiosas e de mídia que são controladas por esses ocultistas no mais alto nível.

Os governos do mundo, as instituições bancárias do mundo, as instituições de mídia, as instituições religiosas exotéricas. Você vai para um nível mais alto nessa pirâmide de controle e chega às ordens ocultas sombrias de nível mais alto e às organizações de laboratório de ideias.

Agora você está no Conselho de Relações Exteriores. O Instituto Real de Assuntos Internacionais, o Clube de Roma, a Comissão Trilateral, o Grupo Bilderberg, o Instituto Tavistock de Relações Humanas. Mas, mesmo acima deles, há um nível mais elevado do ocultismo sombrio, que são as antigas linhagens da classe dominante. Esse é o setor ao qual você não se junta e não há iniciação. Você nasce nele por meio do sangue. É isso.

Isso é o que essa classe de sacerdotes no topo é. São a nobreza veneziana sombria e as pessoas precisam entender isso.

Você não é aceito na classe do chamado Illuminati das trevas. Você nasce nela e ponto final.

Você também não sai quando está nesse nível. No meu nível, você diz "cansei disso e quero sair" e eles dizem "Cai fora moleque. Não precisamos de você. Nós estávamos te usando”.

Eu estava sendo usado como um peão em um jogo do qual eu não tinha conhecimento e não entendia nada. Quando o peão diz que não quer mais se envolver, eles dizem "saia do tabuleiro, mas não nos incomode". Não sei onde estão os corpos enterrados, por assim dizer. Nunca cheguei naquele nível. Minha consciência nunca me permitiu chegar naquele nível.

Quando você chega naquele nível e realmente sabe onde os corpos estão enterrados, não vai sair facilmente. Eles riram de mim quando eu saí, dizendo para eu bater minha cabeça em uma parede de tijolos, uma parede de concreto pelo resto da vida, que eu não causaria um impacto neste mundo. Isso não é verdade. Eu causei.

No entanto, de certa forma, eles estão corretos. É como se eu estivesse batendo minha cabeça contra essa parede, porque as pessoas, no sentido geral, ainda não estão ouvindo nada. É por isso que preciso de mais ajuda, e as pessoas que estão fazendo esse tipo de trabalho precisam de muito mais ajuda. Precisamos da ajuda de vocês.

Vocês precisam ser os próximos. Não quero fazer isso para sempre. Não quero fazer isso sozinho. Esqueça ficar na plateia. Reúna seu conhecimento, reúna sua gramática e suba ao palco.

O simbolismo e vestimentas do diabo cristão ou Satanás são usados no satanismo moderno por duas razões. A primeira é tentar fazer com que os outsiders vejam o satanismo como “apenas mais uma crença religiosa pitoresca baseada nos sistemas de crenças cristãos tradicionais”.

A segunda é associar-se à dinâmica adversária na natureza referida como involução no mundo ocultista. A força que se opõe à verdadeira evolução na consciência ao nos tornar divididos e contraditórios em nossos próprios pensamentos, emoções e ações.

A palavra Satanás deriva da palavra hebraica Shatan, que significa adversário. Isso é Shin Tav Nun, Shatan. Significa adversário ou opositor. O satanismo significa ser contrário à verdadeira ordem da lei natural. Essa é a força adversária.

O satanismo trabalha contra a força ordenadora da lei natural, a fim de trazer o caos, introduzir o caos e o sofrimento.

Os falsos cristãos não têm o bom senso da consciência. Esta é a parte em que tentarei explicar a diferença entre o verdadeiro certo e errado e a decisão arbitrária sobre o que é certo e errado.

Consciência é o conhecimento da diferença entre comportamento certo e errado. A consciência não é o comportamento em si. As pessoas acham que consciência é comportamento, mas não é. Consciência é o conhecimento da diferença entre comportamento certo e errado. O exercício da consciência é o comportamento.

É quando realmente a levamos para o campo da ação, quando exercitamos o conhecimento que adquirimos por meio de nossos comportamentos, de nossas ações. A consciência não é o desejo ou a intenção de fazer a coisa certa.

Esse conceito errôneo faz com que muitas pessoas acreditem que elas mesmas ou outras pessoas têm consciência, quando não têm.

Senhoras e senhores, a maioria das pessoas não tem consciência. Não importa se elas acham que a têm ou se você acha que elas a têm. Porque consciência é conhecimento.

Quantas pessoas realmente têm o conhecimento definitivo da diferença entre o comportamento certo e o comportamento errado? Quantas poderiam de fato articular isso com outra pessoa? Quantas pessoas podem de fato definir o que é certo?

Repito, fiz esse experimento social. Perguntem às pessoas na rua o que é certo, e elas não serão capazes de defini-lo. Elas não serão capazes de lhe dizer o que é certo. Elas não saberão lhe dizer. Uma ação correta é uma ação que não causa danos a outro ser. Eles não serão capazes de lhe dar essa definição simples. E se você não sabe o que é certo, não tem consciência. Se não conhecer os comportamentos certos, você os perderá. Você certamente não conseguirá proteger o que nem sequer conhece. E não vai ficar com você por muito tempo, se é que ficará.

Uma pessoa pode ter todo o desejo ou intenção do mundo de fazer a coisa certa, mas se não tiver o conhecimento necessário para isso, nunca conseguirá de fato realizar essa tarefa, fazer o que é certo. Veja, eu poderia dizer: “Quero construir carros de corrida”. Eu realmente tenho a intenção e o desejo de construir carros de corrida. Mas se eu não aprender de fato o conjunto de ferramentas para isso e depois praticar e aprender como realmente fazer isso, nunca irei construir um carro de corrida.

Imagine que você queira aprender a pintar. Você não diz: “Tenho a intenção de aprender a pintar”. Você realmente se envolve e aprende a pintar. É isso que as pessoas não entendem sobre a verdadeira consciência. Não se trata de dizer que tenho a intenção de fazer a coisa certa. Trata-se, na verdade, de fazer a coisa certa. A intenção é inútil. A ação é tudo. A intenção é inútil O comportamento é tudo. Um tema constante em meu trabalho.

Conhecer a lei moral e vivê-la é completamente diferente de meramente desejar fazê-la. Por causa disso, a maioria das pessoas não sabe o que significa ser uma boa pessoa. Elas têm essa ideia nebulosa do que significa ser bom. A maioria das pessoas diz: “Aquela pessoa é, no geral, boa”.

Elas conhecem a diferença entre certo e errado? Elas usam seu livre arbítrio para escolher o certo em vez do errado em cada momento de suas vidas? Então não me digam que são pessoas boas se não estão fazendo isso. Não me digam que seguidores de ordens são pessoas boas. Não me digam que policiais e militares são pessoas boas. Seguidores de ordens, por definição, não podem ser pessoas boas. Zero. Nenhum.

Declaração completamente vazia. Se você é um seguidor de ordens, você não é uma boa pessoa. Ser uma pessoa boa significa seguir a consciência, não ordens. Significa que você conhece a diferença entre certo e errado e exerce esse comportamento escolhendo voluntariamente, por seu próprio conhecimento, o comportamento correto sobre o comportamento errado, uma vez que você entende a diferença entre essas duas modalidades de comportamento.

Seguidores de ordens não fazem isso. Eles agem com base no que outra pessoa mandou fazer e isso é moralmente errado o tempo todo. Portanto, o único seguidor de ordens bom é aquele que parou de ser um seguidor de ordens. Eles não são mais aquilo. Portanto, não existe tal coisa como um seguidor de ordens bom.

Desenvolver a verdadeira consciência significa que uma pessoa integra dentro de si o conhecimento definitivo e objetivo da diferença entre comportamento certo e errado, capacitando-a a fazer o que é certo ao escolher o comportamento correto em vez do errado.

Infelizmente, a maioria dos cristãos modernos tem uma compreensão distorcida da consciência, de onde ela vem ou como exercê-la corretamente. A palavra consciência deriva do latim conschiere. Muito interessante. Aprendi isso recentemente. Eu sabia que vinha de conschiere, que significa saber juntos. Cons significa juntos, ou com, e schiere significa saber.

Mas eu não sabia até recentemente o que o verbo conschiere em seu contexto completo realmente significava. O verbo latino conschiere significa saber bem, saber plenamente, saber definitivamente. Então, se alguém conhece essa informação, você não diria conschiere, você diria schiere. Tipo: uau, ele sabe disso. Ele é um verdadeiro especialista. Ele sabe profundamente e plenamente. Então você diria conschiere, saber em sua plenitude absoluta. Em outras palavras, realmente domina.

Quantas pessoas conhecem Stranger in a Strange Land de Heinlein? Como posso estar mencionando todas essas grandes obras de ficção e mídia e apenas duas pessoas conhecem?

Esse livro é uma das maiores histórias de ficção científica sobre um anarquista que você jamais lerá. Por favor, leia. É um romance curto.

Então, conschiere significa entender ou compreender em sua plenitude. Isso é consciência, pessoal, saber indefinidamente em sua plenitude a diferença entre certo e errado. Isso, por sua vez, vem de, como mencionei, con, que significa juntos ou com, e do verbo latino schiere, que significa saber.

Literalmente, consciência significa saber juntos, estar todos no mesmo terreno de bom senso, todos na mesma página em relação ao que é certo e errado. Em outras palavras, ter senso comum. É algo muito raro e ausente em nosso mundo.

Se todos entendessem o conhecimento essencial da consciência, poderíamos estabelecer a compreensão de senso comum da moralidade na Terra, onde todos entendem o certo e o errado. Mas este é o principal obstáculo da humanidade: não possuir o conhecimento de senso comum da consciência.

O sistema mundial de violência, roubo e coerção que existe é construído sobre essa ignorância. A lei natural não é difícil de entender: “ensinamentos espirituais avançados”. Como eu disse na sessão da manhã, esta é a classe corretiva. Não é o material espiritual de alto nível. Estes são os blocos de construção fundamentais básicos dos quais você precisa colocar um alicerce para chegar a quaisquer níveis superiores de espiritualidade. Este é o alicerce elementar básico.

A conscientização do conhecimento da verdadeira consciência e o alinhamento das ações a ela são a única maneira de aliviar o sofrimento autoinfligido. O sofrimento autoinfligido que os seres humanos criaram no mundo. Gostaria que o senso comum fosse mais comum.

A variante de moralidade dos falsos cristãos. A Verdadeira Moralidade versus a Moralidade Arbitrária. Esse é o tipo de moralidade que é praticado com frequência na Igreja Cristã, a chamada Igreja Cristã. Eles não têm morais. Eles têm gostos, desgostos, preferências, caprichos e gostos estéticos. Coisas que consideram agradáveis ou, de alguma forma, repugnantes.

O comportamento imoral, por definição, é um comportamento coercitivo e violento que causa danos à vida, aos direitos ou à propriedade de outra pessoa. Qualquer ação que não infrinja os direitos de outra pessoa ou cause danos a um ser sensível é uma ação correta. A verdadeira transgressão é uma violação de direitos por alguma forma de roubo, assassinato, agressão, estupro, roubo de propriedade, invasão ou coerção. Falsos cristãos não aceitarão esse padrão do que consideram errado e tentarão impor sua própria ideia de moralidade a um comportamento ou atividade que consideram desagradável ou esteticamente desagradável.

Eles não ensinam o que é realmente certo e errado. Eles dizem: “A saia daquela mulher é muito curta. Isso é errado. Isso é imoral”. Mas ela não está prejudicando ninguém.

O falso cristão não gosta de pessoas que fumam maconha. Eles a consideram desagradável e de mau gosto. Então não fume. Não me diga que não posso fumar para curar meu corpo. É um direito. E eles dirão: “Isso é imoral e errado”. Não!

Você quer considerá-lo um vício porque o acha repugnante ou desagradável. Isso não significa que seja um crime. Um crime precisa ter uma vítima. É preciso que haja uma violação de direitos para que o crime seja cometido. Eles erroneamente rotularão esses ‘comportamentos de vício ou repugnantes’ como errados ou imorais só porque não gostam deles ou não os aprovam.

O pior de tudo é que quase sempre querem que suas preferências sejam violentamente impostas, forçadas a todos os outros pelo governo. Eles acreditam que a igreja pode decidir que os vícios são pecados e o estado pode decidir que os vícios são crimes. Nenhum dos dois é verdadeiro.

Essa moralidade arbitrária é a força destruidora de liberdade do relativismo moral em ação. Isso é o que comer da árvore do conhecimento do bem e do mal realmente significava no livro de Gênesis. Significa que você não tenta aprender o que é certo e errado. Em vez disso, você se considera o árbitro ou o deliberador do que é certo e errado de acordo com seu próprio gosto.

Esse é o significado de comer da árvore do conhecimento do bem e do mal. Significa que você está se colocando como Deus e dizendo: “Eu decidirei o que é certo e o que é errado”.

E vocês sabem como isso se chama? Isso se chama satanismo. Não é cristianismo. Não me digam que Bush Jr., o menino Bush, o que decide, era cristão. Ele é membro da velha religião, se é que já existiu uma, e seu pai é um dos grandes sacerdotes de alto nível dessa religião. Um satanista absoluto.

Ele, seu pai e toda a sua família, os xerifes do SS da Alemanha, o nazismo de alto nível, vieram para os Estados Unidos e infectaram as agências de inteligência daqui. O exercício do discernimento e do julgamento é outra característica comum compartilhada pelos cristãos verdadeiros e ausente nos falsos. O único salto de fé que uma pessoa deve dar é que a verdade existe e que você pode conhecê-la.

Com a verdade, as questões relativas à moralidade podem ser discernidas como verdadeiras ou falsas, e os julgamentos corretos podem ser feitos e postos em prática. Os verdadeiros cristãos estudam e obtêm o conhecimento necessário para diferenciar a verdade da falsidade, algo que é necessário para o exercício da consciência.

Eles empregam esse discernimento espiritual sem depender de nenhuma autoridade governamental para dizer-lhes o que é certo ou o que fazer, muito menos a igreja ou o Estado.

Existe uma falsa ideia cristã de não julgar o comportamento errôneo e prejudicial de outras pessoas. Aquele provérbio: “Não julgue para que não seja julgado”. Esse é exatamente o tipo de olhar para o outro lado que mergulhou nosso mundo na escravidão abjeta e no caos que representa a atual condição humana.

Não julgue para não ser julgado refere-se a julgar de acordo com seus próprios gostos ou desgostos. Não julgue o certo e o errado por si mesmo. Não cabe a você julgar, cabe a você aprender corretamente, acertar sua gramática sobre o assunto, para que então possa acertar sua retórica ou suas ações sobre o assunto.

Refere-se a julgar de acordo com seus próprios gostos ou desgostos, caprichos ou preferências, o que é certo ou errado. Isso não significa ficar em silêncio e não chamar a atenção de outras pessoas por seu comportamento violento ou coercitivo e imoral. É por isso que estamos na bagunça em que estamos. As pessoas não dizem umas às outras: “Ei, você está errado, você não tem o direito de fazer essas coisas, você não tem o direito de coagir as pessoas dessa forma, você não tem o direito de violar os direitos das pessoas dessa forma”.

Quantas pessoas têm coragem de chamar a atenção das pessoas dessa forma? Não muitas. Muitas nesta sala, sim, pergunta retórica, sei que estamos aqui, sim, estou falando de quantas pessoas lá fora têm coragem de fazer isso. Não muitas.

Eles querem olhar para o outro lado e querem dar desculpas para outras pessoas, e isso só nos trará mais do mesmo.

A verdadeira espiritualidade está enraizada na verdadeira liberdade.

A quantos cristãos vocês perguntarão, como perguntei esta manhã, que lhe dirão que o objetivo final da verdadeira espiritualidade é a liberdade, seja ela qual for? Quase nenhum. E estou falando de liberdade em todos os sentidos: liberdade espiritual, liberdade mental e liberdade física. Os verdadeiros cristãos têm conhecimento dos fatores causais da atual condição humana e conhecem a lei universal da liberdade, que a liberdade e a moralidade são diretamente proporcionais uma à outra.

Um cristão autêntico entende que a liberdade é um direito natural concedido pela criação e que liberdade e espiritualidade estão inerentemente conectadas e não podem ser separadas uma da outra.

A liberdade é o propósito e objetivo da verdadeira espiritualidade.

Quantos cristãos te dirão isso? Eles mesmos não sabem, não se importam, não falam sobre liberdade. A liberdade vai contra o status isento de impostos deles, como explicarei. A liberdade é o propósito e o objetivo da verdadeira espiritualidade.

O falso cristianismo e o movimento da Nova Era constantemente tentam desvalorizar o papel do conhecimento e da liberdade. A moralidade se baseia no conhecimento e é essencial para a liberdade. Quando o conhecimento é desvalorizado e a crença é enaltecida, sempre levará à degradação da moralidade e, portanto, à degradação da liberdade, porque moralidade e liberdade estão inseparavelmente interligadas.

Uma religião exotérica é fornecida para nos distrair e nos impedir de ter e exercer o conhecimento de senso comum que pode nos tornar verdadeiramente livres. Os verdadeiros cristãos têm plena consciência de que a espiritualidade genuína trata totalmente de liberdade. Liberdade espiritual, liberdade mental e liberdade física. Não apenas duas das três, não apenas ter seu espírito livre e sua mente livre, mas livre para, no domínio físico, exercer os direitos que você tem e que são seus para exercer.

E não ter seus direitos infringidos ao exercê-los. Não ter seus direitos infringidos por esforços coercitivos do governo. Isso é o que verdadeira liberdade significa. Liberdade é o direito de se engajar em uma ação que não seja prejudicial a outros, sem restrições por outros.

Significa que ninguém vem e diz: “Ei, você não pode se comunicar com essa pessoa, você não pode exercer a liberdade de expressão, você não pode se envolver nesta interação voluntária com pessoas, você não pode vender isso para elas e elas queriam e é uma troca voluntária porque você não tem uma licença para isso”. Isso não é liberdade.

Sem restrições pelo homem no domínio físico. Isso também tem que ser o que a verdadeira liberdade engloba. Não são apenas duas das três. A liberdade espiritual, mental e física, todas precisam estar presentes para que a verdadeira liberdade esteja presente. Duas de três não são suficientes.

A ilusão de servir a dois mestres.

Mateus 6:24 diz: "Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro”. Não é possível servir a Deus e ao Mamon e também não pode servir simultaneamente a Deus e ao Estado.

O verdadeiro serviço dos falsos cristãos é destinado para as religiões da autoridade e do dinheiro. Muitas pessoas que acreditam ser cristãs servem à autoridade e ao dinheiro com uma capacidade muito mais leal do que ao serviço falsamente reivindicado a Deus e à mensagem de Jesus. Não há contradição maior do que acreditar que a lei do homem está de alguma forma no mesmo nível ou é constituída pelas leis de Deus. Isso é pura dissonância cognitiva e uma marca registrada de um falso cristão autoritário falso.

Os cristãos que adoram Mamon não são melhores, pois colocam o Deus do dinheiro muito acima do Deus da criação em seu trabalho e em seus sistemas de crenças. Devido à prática generalizada de servir a dois senhores no cristianismo exotérico, você nunca verá nenhum pastor ou pregador cristão se manifestando contra coisas como usura ou guerra.

Porque esse tipo de discurso iria contra sua verdadeira religião de dinheiro e autoridade e ameaçaria seu status de isenção fiscal. É por isso que esses falsos cristãos nunca dirão nada contra o Estado. Eles nunca se manifestarão contra a guerra imoral e agressiva. Eles nunca se manifestarão contra a usura nas instituições bancárias. Porque eles querem o dinheiro que entra pelos pratos de coleta. E eles querem tudo.

Eles não querem ter que falar: “Ei, vou criticar o governo”, e então o governo dirá: “Então você tem que nos pagar impostos”. Não, o governo tem um pequeno acordo com os religiosos, os falsos religiosos. E eles dizem: “Nós lhe daremos o status de isento de impostos, mas você não pode dizer nada negativo sobre nós”.

Nunca diga a eles que somos o demônio, nunca diga a eles que não estamos alinhados com o verdadeiro cristianismo. Você nunca ouvirá um pastor que é falso cristão dizendo qualquer uma dessas coisas. Eles amam esse louco e o adoram com todo o coração e alma.

Eles lhes dirão para se submeter ao governo, enquanto estão completamente em desacordo com eles mesmos, servindo a dois senhores, principalmente ao Deus do dinheiro. O Dstado, as forças policiais, os militares, a chamada constituição, que é apenas mais uma lei do homem, parem de adorar essa merda.

Esses são falsos deuses e todos os falsos cristãos simplesmente os consome com uma colher e um canudo. Eles não conseguem ingeri-lo com rapidez suficiente, não conseguem sugá-lo com rapidez suficiente. O governo é uma seita e um eufemismo para a escravidão. Um verdadeiro cristão sabe que todos têm exatamente os mesmos direitos, quem ninguém tem mais ou menos direitos.

Todos nesta sala, todos no mundo inteiro, todos no universo têm exatamente os mesmos direitos. Ninguém tem mais direitos do que eu ou você, e ninguém tem menos direitos. Um verdadeiro cristão sabe que, como os direitos não são criados pela humanidade, mas são direitos inatos concedidos a nós pelo criador do universo, nenhum ser humano ou grupo de seres humanos pode conceder direitos ou revogar direitos de qualquer outra pessoa.

Não se pode dizer: “Sabemos que o assassinato e o roubo são errados, mas vamos conceder a esse grupo de pessoas a capacidade de cometer essas transgressões sem nenhum tipo de punição, com total impunidade. Vamos dar a eles a licença para que possam fazer essas coisas”. Isso não existe. Essa é uma ilusão de merda, é controle mental.

Neste exato momento, nesta sala, se eu estivesse em Nova Jersey em vez da Filadélfia, eu poderia ser preso pelo simples fato de estar lá com o que tenho aqui comigo. Diga-me como você pode ter o mesmo comportamento em dois lugares diferentes, e em um lugar isso é considerado moral e um direito, e em outro lugar é considerado imoral, e você pode ser preso e enjaulado por isso, ou até mesmo morto caso se recuse a obedecer.

Isso é chamado de relativismo moral de merda e essa é a mentalidade do satanismo. Os satanistas acham que uma coisa pode ser certa em um lugar e errada em outro, ou certa em um momento e errada em outro.

Eles acreditam em moralidade relativa. Não existe tal coisa. Isso se chama... tudo isso equivale a... todo relativismo moral que se baseia na lei do homem equivale a: “Sou Deus e posso inventar o certo e o errado a meu bel-prazer”.

Deixe-me dizer uma coisa: ninguém é essa força, e não, eles não têm o direito de fazer isso. Um verdadeiro cristão entende que a autoridade investida no homem é inerentemente ilegítima, ilusória e imoral, e que o governo é simplesmente um eufemismo para a escravidão, porque se baseia em coerção e comportamento violento. No entanto, o governo não é apenas um eufemismo para a escravidão, ele é tanto uma religião quanto um culto.

É aqui que a linguagem fica ainda mais forte. O governo não é apenas escravidão, ou uma religião. É uma seita. Essa é uma mentalidade de seita, porque a definição de seita é uma religião que é perigosa para as vidas, os direitos e as liberdades de outras pessoas que não são seus membros.

Uma seita pratica atos violentos contra seres que não são membros, e essa é a definição de governo. Você pode ter uma religião e essa é uma noção ridícula, é um sistema de crenças ridículo. Você pode ter uma religião em que o Urso Fawzi é o Deus da criação e todos nós nos curvaríamos e adoraríamos Fawzi, certo?

Tenha sua religião ridícula e sem sentido, porque ela não é prejudicial. É aqui que eu digo que, mesmo que você queira acreditar em elefantes cor-de-rosa e contos de fadas dançantes vagando pelo céu, fadas dançantes vagando pelo céu, você tem o direito de fazer isso.

Você pode estar tão errado quanto quiser, pode ser tão idiota quanto quiser, desde que a crença não tenha nada a ver com a violação dos direitos e da liberdade. Acreditar no governo não é nem mesmo um direito. Você não tem o direito de acreditar nesse sistema de crenças.

Quer saber por quê?

Porque isso está afetando a liberdade de outras pessoas no sentido negativo. Há pensamentos que não são direitos. Você não tem o direito de pensar que outra pessoa é um escravo legítimo. Não há direito de acreditar que você mesmo é um escravo legítimo. Isso não é um direito. Você não tem esse direito sob a criação, de aceitar a escravidão. Porque isso é a rejeição total da dádiva do livre arbítrio e é imoral porque está prejudicando o livre-arbítrio e a liberdade de outras pessoas. Esse direito não existe na natureza.

É por isso que eles não querem que você leia os escritos dos pais fundadores. Eles estavam dizendo isso às pessoas em seus escritos. Algumas das obras filosóficas mais profundas do homem, mesmo que você concorde com algumas das ações que eles não fizeram até o fim da anarquia, eu concordo.

Eles ficaram aquém do padrão. Eles precisavam parar na declaração e nunca constituir um novo governo. Declarar a liberdade e dizer: “Qualquer um que queira tentar tirá-la de nós, venha e tente”. Isso é liberdade. Liberdade ou morte, essa é a escolha.

Você precisa estar disposto a colocar tudo em risco se realmente quiser ser livre e não ter governantes. Vamos chegar a esse nível de sacrifício.

Portanto, isso é uma seita e é por isso que o governo é definido como uma seita, porque é um sistema de crenças ilusório e imoral que causa violência às pessoas que não são seus membros.

A diferença entre a lei natural e a lei do homem é tudo. A lei natural baseia-se na verdade e nos princípios, que são eternos. São inerentes à criação, existem em toda parte, em todos os momentos e lugares. A lei do homem baseia-se em crenças dogmáticas, que são construções da mente ilusória. A lei natural, ou lei cármica, ou lei moral, ou lei de Deus, seja qual for o nome que você queira dar a ela, é harmonizada devido ao conhecimento e à compreensão.

A lei do homem não é harmonizada, ela é cumprida devido ao medo da punição, do que acontecerá com você se não a cumprir. A lei natural universal é universal. É cósmica, existe em toda parte, aplica-se em qualquer lugar do universo, independentemente do tempo ou do local.

A lei do homem difere de acordo com o local, com base no capricho dos legisladores. Você pode fazer uma coisa em um lugar e, se fizer em outro, pode ser enjaulado. Isso é relativismo moral.

A lei natural é eterna e imutável. Ela existe e se aplica enquanto o universo existir, e não pode ser alterada por nenhuma força do universo. Ninguém é capaz de mudar a lei natural ou de não estar vinculado a ela.

A lei do homem muda ao longo do tempo com base no capricho dos legisladores. Veja a proibição na década de 20: o álcool era legal, tornou-se ilegal e depois voltou a ser legal novamente. Será que era moral, tornou-se imoral e depois voltou a ser moral novamente? Foi isso que aconteceu?

As pessoas que fabricavam e consumiam álcool eram pessoas morais e tinham o direito de fazer isso. Depois, por um breve período, isso é um ato imoral e você está prejudicando outras pessoas, e depois, quando revogam a proibição, isso se torna moral novamente, e não há problema em fazer isso, você não será preso por isso. Isso é um absurdo ridículo.

Uma criança de três anos consegue perceber que isso é um absurdo, mas os adultos que se consideram adultos não conseguem. As pessoas são uma piada.

A maioria dos supostos cristãos não entendem a escravidão inerente aos sistemas de autoridade governamental. Eu os chamo de cristãos autoritários, e eles não são cristãos de forma alguma.

Eles compraram a ideia totalmente satânica que os ocultistas sombrios inseriram nas escrituras bíblicas de que o governo é “ordenado por Deus”. Repito, leiam Romanos 13.

Esses falsos cristãos não entendem que a autoridade é uma ilusão de uma mente doente baseada inteiramente na violência e construída sobre a crença errônea e dogmática de que algumas pessoas são os senhores que têm o direito moral de emitir ordens, que eles chamam de leis, enquanto outros são escravos que têm a obrigação moral de obedecer aos senhores.

Eles não conseguiram enxergar que o Deus da criação jamais instituiria ou toleraria um governo porque o Deus da criação não quer a escravidão para ninguém.

O Deus da criação quer liberdade para todos, e os que se intitulam cristãos devem entender isso e tirar a cabeça de dentro do rabo em relação à sua crença absurda e não cristã no governo. As únicas citações fora das escrituras bíblicas que farei em toda essa apresentação são comparações entre mim e um dos pais fundadores, James Madison, que Deus o abençoe.

Ele ajudou a redigir a Segunda Emenda. Foi coautor da Segunda Emenda com George Mason, e graças a Deus por esses homens, mas ele era um federalista e um estatista de longo prazo e disse o seguinte: se os homens fossem anjos, nenhum governo seria necessário. Essa é uma citação de um dos pais fundadores, James Madison.

Vamos ver como James se compara a mim e vamos ver quem é um pouco mais cristão. Eu digo que, visto que os seres humanos não são anjos, certamente concordo com a citação. Nenhum deles está apto a governar. Coloquei isso em minhas redes. Isso ainda tem de ficar em minha cabeça.

Somente os anarquistas podem ser verdadeiros cristãos.

Que tal essa declaração para os falsos cristãos que estão por aí? Somente os anarquistas podem ser verdadeiros cristãos. A palavra anarquia é derivada do prefixo grego an, que significa sem, ou a ausência de, e do substantivo grego archon, que significa governante ou mestre.

Anarquia não significa ausência de regras. Ainda existem regras na anarquia chamadas de lei natural. Significa sem governantes, sem mestres. Anarquia significa a ausência de escravidão ou, em outras palavras, a verdadeira liberdade. Somente os anarquistas podem ser verdadeiros cristãos. Os verdadeiros anarquistas rejeitam a autoridade do homem, a autoridade do governo, e rejeitam o conceito de um intercessor entre nós mesmos e o criador, e assumem a responsabilidade pessoal por suas ações nesse reino.

Ao rejeitar a regra imposta pela autoridade ilusória do governo, os verdadeiros anarquistas se alinham a um poder superior, a lei natural da criação, da qual todos os direitos naturais derivam.

Mas não se enganem e pensem que a lógica oposta se aplica. Nem todos os anarquistas são necessariamente cristãos verdadeiros. Também temos que entender isso, pois o cristianismo envolve mais do que apenas a rejeição da autoridade. O cristianismo verdadeiro e esotérico rejeita.

É importante entender que uma pessoa não é automaticamente um verdadeiro cristão só porque se considera um anarquista. Uma pessoa que rejeita a autoridade ainda deve possuir e viver de acordo com o conhecimento moral da lei natural e da regra de ouro para ser considerada um verdadeiro cristão.

Alguns podem reconhecer a ilegitimidade da autoridade do homem e, ainda assim, deixar de entender a lei natural ou de se comportar moralmente. Portanto, todos os verdadeiros cristãos são anarquistas.

Mas nem todos os anarquistas são necessariamente cristãos. Vou repetir. Todos os verdadeiros cristãos devem ser necessariamente anarquistas. Se você diz que é cristão, deve reconhecer e se identificar como anarquista. Porque isso significa que você não se iguala, não reconhece nem dá legitimidade à autoridade do homem ou do governo. Mas nem todos os anarquistas são verdadeiros cristãos.

Somente aqueles que basicamente vivem de acordo com a lei natural e moral e a regra de ouro podem ser considerados verdadeiros cristãos.

Cristianismo da Prosperidade.

Cristianismo da prosperidade é a crença de que a pessoa obtém riquezas e um estilo de vida extravagante porque, de alguma forma, conquistou a preferência de Deus. Os ocultistas da classe dominante por trás da religião exotérica inventaram um sistema de crenças espiritualmente degenerado para tentar fazer com que as pessoas acreditem que ser ganancioso, impiedoso e acumular recursos é algum tipo de caminho moral na vida.

Há pastores cristãos por aí ensinando esse lixo, dizendo às pessoas que se tornar como esses elitistas multibilionários, que não têm a menor inclinação para ajudar os outros, é uma espécie de aspiração cristã.

E se você alcançar esses tipos de riquezas mundanas, chegou à condição de cristão porque Deus o favoreceu. Os verdadeiros cristãos sabem que a iluminação não tem nada a ver com a busca da ganância, do conforto ou da felicidade em um mundo cheio de sofrimento.

Buscar seu próprio prazer e não fazer nada para educar moralmente os outros é uma mentalidade satânica.

Os verdadeiros cristãos sabem que têm a obrigação moral de se preocupar o suficiente com o que está errado em nosso mundo para tomar medidas concretas para mudá-lo para melhor.

Aqui estão esses impostores do cristianismo da prosperidade vivendo pelo dinheiro, roubando o dinheiro suado das pessoas, invadindo-as com esses televangelistas e seus programas. É patético e deplorável.

E vai diretamente contra as verdadeiras escrituras cristãs. No livro de Lucas, no Novo Testamento, Jesus disse que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus. E descobri que isso é verdade em minha vida pessoal.

As pessoas que têm mais dinheiro não se importam com o que está acontecendo porque adoram esse sistema. Elas gostam dele. Elas dizem: “Ele está funcionando bem para mim. Vou dar posições a todos os outros”.

A maioria das pessoas trocaria de lugar com os controladores ocultos sombrios em um piscar de olhos. Elas diriam: “Ah, vocês controlam todos. Vocês controlam o mundo. Vocês são os senhores de todos esses escravos. Eu trocaria de lugar com vocês em um piscar de olhos”.

A maioria das pessoas faria esse acordo. Elas querem ser os controladores. Querem ser a classe dominante. Elas não os odeiam. Elas adoram o conceito porque gostariam que fossem elas.

Cristianismo Salvacionista.

Esses tolos acreditam que você só pode ser salvo ou obter a salvação do sofrimento por meio da fé ou simplesmente aceitando Jesus como seu Salvador pessoal que morreu por nossos pecados.

Em uma visão de mundo espiritual tão ridícula, as ações se tornam sem sentido e as boas ações não podem salvá-lo, como eles dizem, já que tudo o que é necessário para sua salvação é uma certa crença, uma crença de que Jesus morreu por seus pecados, por seu arrependimento.

Os verdadeiros cristãos se importam o suficiente para agir no mundo real e criar mudanças no mundo real. Ser salvo de nossa escravidão autoimposta virá na forma de saber a diferença entre o comportamento certo e o errado e então aplicar esse conhecimento por meio de nossas ações.

Que tal em vez de olharmos para Jesus como alguém a ser adorado ou em quem acreditar como nosso Salvador, olharmos para o que ele nos disse sobre como realmente viver no mundo, que é o que realmente pode nos salvar da escravidão e da aniquilação?

“Cristianismo” Sionista.

Não falo muito sobre esse assunto. Falei sobre ele em um podcast específico. Vou falar um pouco sobre isso aqui. O sionismo é uma ideologia política elitista e racista baseada no judaísmo talmúdico, uma forma falsa da religião judaica, judeus falsos.

O sionismo ganhou muitos nomes diferentes em todo o mundo, mas é essencialmente puro Ocultismo Sombrio em sua essência. O judaísmo talmúdico acredita na superioridade da raça e da religião judaicas e na escravidão de pessoas inferiores que não foram escolhidas por Deus, que eles veem como gado e propriedade.

O sionismo muitas vezes se esconde atrás do judaísmo tradicional, usando-o como bode expiatório, ao mesmo tempo em que prejudica os judeus legítimos, baseados na Torá.

Embora os sionistas insistam que são o oposto polar dos nazistas, sua ideologia central é praticamente idêntica, em termos de crença e metodologia, à religião do nazismo, com uma das únicas diferenças sendo qual raça é idealizada como a principal, a germânica ou a judaica. Os verdadeiros judeus que estudam a Torá e se baseiam na Torá, acredito que sejam judeus hassídicos, rejeitam o sionismo.

Aqui vemos placas dizendo que o judaísmo rejeita o sionismo no Estado de Israel. Rabinos autênticos sempre se opõem ao sionismo no Estado de Israel.

O judaísmo rejeita o sionismo repetidamente e o Estado de Israel e os judeus sionistas não querem que isso venha à tona, eles não querem que as pessoas saibam que os verdadeiros judeus ortodoxos e hassídicos não concordam com a ideologia racista sionista.

Sionismo diz: “Goyam apenas para nos servir”. É assim que eles chamam a raça escrava não sionista, que existe apenas para servi-los. “Eles não têm lugar no mundo, além de servir às pessoas invisíveis”. O cristianismo sionista é um completo oximoro em termos. O sionismo cristão é uma forma extremista e racista de falso cristianismo em que os fundamentalistas religiosos se identificam como cristãos, mas acreditam e seguem a ideologia talmúdica e sionista.

Esses supostos cristãos se identificam com o Estado de Israel e apoiam tudo o que Israel faz no Oriente Médio, inclusive a escravidão e o genocídio do povo palestino. A Palestina é uma terra que foi invadida pelos sionistas e tomada à força usando o sistema de crença errôneo de direito e superioridade sionista com o apoio total das forças armadas britânicas e americanas.

Muitos cristãos de fé que não se autodenominam sionistas cristãos também aderem a algumas ideologias de nível inferior do sionismo, incluindo o apoio inquestionável ao Estado de Israel por motivos religiosos. Esse não é o verdadeiro cristianismo.

O cristianismo não apoia esse tipo de ideologia política racista nem a invasão de pessoas em suas terras.

Socialismo cristão.

Há milhares de variantes diferentes do falso cristianismo. Esse é real. Esse é um pôster socialista verdadeiro. Estou lhe dizendo, eles estão por toda a cidade. Há uma infecção nesta cidade.

Essa cidade comunista, de esquerda em particular, está infestada com esses tipos de falsos cristãos. Uma tendência extremamente preocupante no final do século XX e início do século XXI é o “socialismo cristão”, outra forma perigosa de falso cristianismo.

Você não pode ser cristão e apoiar o socialismo porque o socialismo é a redistribuição da riqueza e da propriedade usando a coerção e a violência do governo. Isso é o que os socialistas querem e não me venha com essa besteira de socialismo democrático. Tudo isso é ideologia marxista e mentalidade central, que veio do ocultismo sombrio.

Há outra pessoa que foi encarregada de escrever o manifesto comunista de Karl Marx e depois isso. Os ocultistas sombrios por trás do comunismo colocaram esses caras para que eles pudessem ter seus oradores. Eles não escreveram essa ideologia. Eles a estavam entregando.

Ele disse: “Aqui, publiquem isso com seus nomes”. Os ocultistas sombrios que realmente apresentaram essa porcaria doentia não estão colocando seus nomes nela. São famílias de linhagem e você nunca saberá os nomes deles.

Você não pode ser cristão e apoiar o socialismo, porque ele se baseia na coerção e na violência do governo. Clubes de jovens cristãos socialistas estão surgindo em todos os lugares. Há uma tendência popular moderna de esquerda que mistura ideais socialistas com o cristianismo sem o menor conhecimento ou adesão à lei natural, à verdadeira moralidade ou à regra de ouro. Trata-se de uma flagrante infiltração marxista cultural.

Vou repetir. Trata-se de uma flagrante infiltração marxista cultural no cristianismo exotérico moderno, e esses chamados esquerdistas cristãos estão crescendo em número, de forma preocupante. É um problema maior do que você imagina.

Predeterminismo ou por que agir quando o resultado já está escrito?

A falsa doutrina cristã do predeterminismo afirma erroneamente que o futuro já está escrito e deve se manifestar de uma determinada maneira porque é desejado e preordenado por Deus. Eles acreditam que não faz sentido tentar mudar as condições aqui na Terra porque tudo já está determinado e o resultado está gravado em pedra.

Essa é outra forma de espiritualidade “de espera”, como gosto de chamá-la. Não se trata de uma espiritualidade “das ruas”, mas de uma espiritualidade de espera. Isso impede que a ação correta e a mudança positiva ocorram.

Essa é a razão pela qual esse falso sistema de crenças cristãs foi criado: para impedir a ação correta e a mudança positiva. Isso faz parte do que chamo de cisma da visão de mundo da aleatoriedade, na qual muitos cientistas e ateus acreditam. O ocultismo é um grande acidente. Não há um criador. Não há inteligência subjacente. Não existe lei espiritual, moral ou natural. A existência não tem nenhum propósito além de continuar existindo. Essas são as marcas registradas do cientificismo, do ateísmo e do totalitarismo. A aleatoriedade desequilibra a visão de mundo.

Do outro lado... Essa é a visão de mundo do cabeça de ovo com desequilíbrio do cérebro esquerdo. A aleatoriedade do cérebro esquerdo. Depois, temos o desequilíbrio da visão de mundo religiosa do lado direito do cérebro, que é o determinismo. Deus controla todos os eventos da criação. Todas as ocorrências são predeterminadas. O livre arbítrio é uma ilusão. Ele não existe de fato. Como Deus controla tudo, a mudança é impossível. Tudo depende de Sua vontade. Portanto, a ação é, em última análise, sem sentido. Essas são as marcas registradas do extremismo religioso e do pensamento escravagista.

A verdade está em algum lugar no meio. Há um componente aleatório na criação, que é chamado de livre arbítrio. Não é possível colocar um algoritmo sobre o que alguém realmente vai escolher em um determinado momento. É aleatório.

Se o alinharmos à lei natural, seguirá um padrão. No entanto, ainda há isso. Você ainda não vai tirar o livre arbítrio. Você ainda pode optar por fazer algo que seja caótico ou aleatório. Esse é o componente aleatório da criação, o livre arbítrio. E o componente determinístico da criação é a lei natural. Ela é imutável. Funciona cem por cento do tempo sem falhas, o tempo todo, em todos os lugares.

As pessoas, repito... Parece vou irritar todo mundo porque ninguém consegue me colocar em sua caixa e eu ataco todo mundo em seus sistemas de crenças sem sentido. Portanto, não me importo com quem não gosta. Não quero que gostem de mim. Não estou aqui para isso. Estou encarregado de dizer a verdade sobre o que está acontecendo, independentemente de quão difícil seja ouvir quem se ofende.

Vivendo para a vida após a morte.

Muitos falsos cristãos não acreditam que vale a pena mudar este mundo e estão vivendo apenas pela promessa de recompensa de uma vida após a morte no céu com Deus. Essa é mais uma crença inserida no cristianismo primitivo. Tirar de cena as pessoas que poderiam ter sido agentes positivos de mudanças reais. Afastem a espiritualidade.

Viva para o próximo mundo. Viva para sua recompensa no céu. Mas não tente mudar nada aqui.

A falsa crença cristã de que a Terra é o reino de Satanás.

Então por que eu deveria me preocupar com ela? Outra falsa noção cristã que destrói a mudança positiva em nosso mundo é a ideia de que vivemos no reino de Satanás, e não em um reino de livre arbítrio.

Essa ideia convence as pessoas de que elas são impotentes e ineficazes e que devem simplesmente se submeter e ceder nossos direitos de bom grado. Algumas seitas cristãs falsas, na verdade, acolhem a contínua destruição social e ambiental da Terra porque acreditam que essa carnificina acelerada significa que a tribulação bíblica da profecia do fim dos tempos está chegando, e que a salvação para os fiéis na vida após a morte está logo depois dela, virando a esquina.

Os verdadeiros cristãos rejeitam essa visão de mundo insensata e incutiram em si mesmos um profundo reconhecimento da importância fundamental do livre arbítrio e da responsabilidade pessoal.

Aqui está uma seção que acho que algumas pessoas acharão interessante.

O óleo “sagrado” da unção e a autopropriedade. Jesus é amplamente conhecido como um curandeiro e realizador de milagres pelas histórias do Novo Testamento de como ele curava os doentes.

Ele disse que realizava milagres ao curar “doenças incuráveis” dos olhos e da pele. E até mesmo curou pessoas que estavam à beira da morte.

Estão surgindo evidências que mostram que é bastante provável que o óleo de cannabis tenha sido o principal agente de cura usado por Jesus ou por seus discípulos nessas curas milagrosas.

Quase todas as representações da companheira de Jesus, Maria Madalena, mostram-na segurando um pequeno recipiente com óleo semelhante ao que se pode ver no óleo de cannabis ou em extratos de óleo de cannabis. Quero dizer que essa é uma planta milagrosa, pessoal. É provavelmente a planta mais medicinal na superfície da terra, colocada lá pelo criador do universo.

Aqui está uma imagem de Maria Madalena que a mostra claramente usando algum tipo de substância dourada ou âmbar muito viscosa em um tipo de cadinho ou recipiente. O óleo de cura usado por Jesus era chamado de Cana Bosum.

Pensem nisso por um minuto. O nome do óleo de unção de cura que é mencionado nas escrituras bíblicas era Cana Bosum. O nome vem do substantivo hebraico Cana, transliterado K-A-N-E-H, que significa ler. E do adjetivo hebraico bosum, B-O-S-E-M, que significa aromático, o que descreveria muito bem o que é a cannabis.

Esse óleo também era chamado simplesmente de Cana Bos, K-A-N-N-A-B-U-S, em vez de C-A-N-N-N-I-B-A-B-I-S. A pronúncia fonética é quase idêntica, mas a grafia é ligeiramente diferente. Cana Bos foi continuamente traduzido erroneamente em hebraico como Calomus, que é uma leitura inútil.

Faria todo o sentido que a cannabis fosse a substância que Jesus usou para curar, considerando que agora conhecemos a era moderna em relação à infinidade de doenças e condições que essa planta milagrosa é capaz de tratar e curar.

Vou dizer uma coisa: a cannabis é a planta milagrosa. É a cura para o câncer, pessoal. Se você ainda não sabe disso, é porque está muito atrasado. As pessoas precisam assistir à história de Rick Simpson no YouTube.

Esse homem era um santo. Ele é um santo em nossos tempos modernos, que curou tantas pessoas com câncer que é quase impossível de contar. Qual foi sua recompensa pelas autoridades governantes que, se você fizer boas ações, vão elogiá-lo? Eles torturaram esse homem.

Eles o perseguiram fora dos Estados Unidos a ponto de ele ter que se mudar para a Croácia para continuar curando pessoas com câncer. O lixo absoluto que pegaria um homem que está curando crianças com câncer e tentaria fazer dele um criminoso. Como disse, trata-se de pessoas que merecem ser crucificadas.

Aqui estão algumas representações antigas de Jesus, mostrando-o curando os doentes com a planta de cannabis próxima à cena. Claramente, é a maconha. E os falsos cristãos dirão: “Não, essa é a planta do diabo. O governo precisa continuar proibindo e suprimindo isso”. Mesmo hoje, isso ainda está sendo feito. As pessoas pensam: “Ela está sendo legalizada”. Não, não está.

As pessoas ainda vão para a cadeia por causa da cannabis. É uma vergonha o lixo que jogaria alguém em uma jaula pelo uso de uma planta medicinal. Um absoluto lixo moral. Você realmente me afeta quando começa a impedir que crianças sejam curadas.

Fico com uma raiva assassina quando penso nessa merda. Atualmente, a cannabis é usada para tratar setecentas condições médicas sem os efeitos colaterais tóxicos dos medicamentos. Imagine se os médicos de hoje pudessem prescrever livremente esse medicamento curativo sem as repercussões de serem colocados em uma gaiola pela falsa doutrina da lei do homem.

Quando a cannabis for usada para tratar todas as formas de câncer, quando você vir a cannabis ser usada para tratar todas as formas de câncer ou quando vir como ela ajuda uma criança que sofre de convulsões a voltar a viver normalmente depois de apenas uma dose de óleo de cannabis, entenderá o verdadeiro milagre que é.

Conheço uma pessoa que curou o câncer endometrial, que é o câncer do revestimento do útero, com óleo de cannabis. Os médicos deram a ela uma sentença de morte e disseram: “Vá para casa, coloque suas coisas em ordem, você tem no máximo seis meses”. E o marido disse: “Besteira, vou curar minha esposa”. Atravessou o país, comprou óleo de cannabis no noroeste do Pacífico e levou para ela. Acredito que em algum lugar no meio dos Estados de Missouri ou Kansas, Kansas, eu acho. E ela foi curada em quarenta e cinco dias. Quarenta e cinco dias, sem vestígios de câncer no corpo.

E quando o médico soube o que ela fez e como fez, ele disse: “Não posso mais tê-la como minha paciente”. Ele nem mesmo monitorou sua condição para garantir que o câncer continuasse sob controle e não voltasse, porque ela estava usando “a substância ilegal” e não o veneno absoluto que é a quimioterapia.

Eu não entro muito nesse assunto porque, como vocês podem ver, isso me irrita. Um dia vou entrar em contato com uma dessas pessoas. Um verdadeiro cristão sempre apoiaria o direito de autopropriedade. E o direito de fazer o que quiser com sua própria consciência, desde que não prejudique mais ninguém.

Os verdadeiros cristãos também apoiariam e defenderiam o direito das pessoas doentes de ter acesso a um plano criado por Deus para aliviar e acabar com o sofrimento. E nenhum cristão verdadeiro negaria esse direito.

A ideia de que estou salvo e isso é tudo o que importa. Outra falsa crença cristã.

Muitos falsos cristãos acreditam que, contanto que sua vida esteja indo bem e eles aceitem Jesus, eles estão salvos e espiritualmente completos e isso é tudo o que importa. Uma pena para todos os outros pecadores.

Não é disso que se trata o cristianismo ou qualquer forma de espiritualidade. A verdadeira espiritualidade abrange o autocuidado e o aprimoramento pessoal, mas também reconhece a lei do um, de que estamos todos conectados. Que todos estão sofrendo se alguém estiver sofrendo. Essa é a lei do um. Se um sofre, todos estão sofrendo. Portanto, devemos desenvolver a responsabilidade de ajudar os outros a se conscientizarem, transmitindo o conhecimento que aprendemos para que todos possam trabalhar em prol do aprimoramento espiritual e da cura.

E aqui está essa noção encapsulada em um quadrinho muito engraçado. Esses caras estão tentando salvar o barco de um lado, os outros estão no topo do barco que está afundando e dizem: “Ainda bem que o buraco não está do nosso lado”. Eles ganham o ‘Não Acredito’. O ‘Não Acredito’ de Jesus.

A quem Jesus se opôs e expôs?

As três dinâmicas mundiais contra as quais Jesus realmente lutou durante sua vida, conforme descrito no Novo Testamento, eram o que chamo de trindade profana. Religião, dinheiro e governo.

Ele desafiou as ordens religiosas estabelecidas de sua época, os fariseus e os saduceus. Ele teve um grande problema com a usura dos cambistas do templo, que eram a ordem financeira estabelecida em sua época.

E, é claro, ele foi condenado e crucificado pelo governo romano a mando dos poderes religiosos e monetários.

Esse exemplo, sobre o qual os cristãos da fé nunca falam, também serve para ilustrar onde está o verdadeiro poder do sistema de controle.

Quem, afinal, pediu ao governo que crucificasse Jesus?

As ordens religiosas. E elas também estavam trabalhando em conluio com o sistema monetário. Mas quem persuadiu Pilatos e os romanos a realizar a crucificação? Se você acredita na crucificação física e histórica, ela foi feita pelas ordens religiosas, pela classe ocultista e sacerdotal das trevas.

Ele entrou no templo, pegou um chicote, chicoteou os cambistas e disse: “Caiam fora daqui”.

Agiotas.

As igrejas nem sequer falam de usura hoje em dia. Nem sequer a mencionam. E tem quem, no final das contas, cometeu o ato da crucificação. Mas espere aí. Será que foram elas? Foram as autoridades governamentais que fizeram isso? Já falaremos sobre isso.

Essa é a trindade profana. A religião é o pai da trindade. Seu controle de pensamento perpetua a ignorância e se baseia na crença. Esse é o verdadeiro grande pai, a religião. Controlada por uma classe de sacerdotes ocultistas sombrios.

É a essência de todo o controle mental e a base da velha ordem mundial de controle e escravidão total. O dinheiro é a mãe da trindade profana. Seu controle emocional faz com que nossas emoções se concentrem em querer apenas esse desejo por mais e mais dinheiro. Ele perpetua a apatia.

A maioria das pessoas, desde que tenham dinheiro, não se importam com mais nada. É o novo Deus ao qual os seres humanos agora dedicam inteiramente seu cuidado, atenção e energia.

A religião suprema. O dinheiro é uma religião ainda mais difundida do que o governo e a autoridade. Mais pessoas acreditam no dinheiro como uma religião do que na autoridade. Ele é a base da nova ordem mundial. É a introdução, ou seja, é o que dá origem à nova ordem mundial. É o que as pessoas fazem por dinheiro.

O governo é o filho. É a manifestação final que vem do pai e da mãe. É o controle do corpo físico, a escravidão física. Ele perpetua a covardia. Baseia-se na crença errônea em autoridade. E é o executor violento do pai e da mãe.

Os ocultistas sombrios e os banqueiros.

O governo é a nova ordem mundial.

Aqui está quem realmente cometeu o ato da crucificação de Cristo. A polícia assassinou Cristo. Digo isso aos chamados cristãos e eles me olham como se eu tivesse uma hidra de oito cabeças crescendo do lado do meu pescoço.

O quê? Do que você está falando? A polícia matou Jesus? Com certeza. A polícia matou Jesus.

A força policial do Império Romano foi a principal responsável pela morte de Jesus Cristo. E, novamente, se você acredita nisso como uma história, ou um relato histórico, ou uma história alegórica, não importa. Os centuriões eram a força policial romana. Eles foram de fato responsáveis pela morte de Jesus.

Foram eles que fizeram a crucificação quando Pôncio Pilatos deu a ordem. Os centuriões, os soldados romanos e a força policial da época mataram Jesus. Seguindo as ordens dos saduceus e fariseus em conluio com os cambistas e o governo romano.

A subserviência ao Estado é uma doutrina falsa na qual os falsos cristãos ainda acreditam até hoje. Apesar de Cristo ter lutado durante toda a vida contra os agentes da lei do Estado e ter sido assassinado por eles. Claramente descrito em suas próprias escrituras e eles não conseguem ver isso. Não conseguem ver que a polícia matou Cristo. Estamos apenas fazendo nosso trabalho, Sr. Jesus, pare de infringir a lei e Isso não acontecerá. Vocês não conseguem imaginá-los dizendo isso? Eu sei que consigo.

A polícia moderna está bloqueando o trabalho de Cristo com violência. Isso está acontecendo ativamente neste exato momento. Outra coisa que me enfurece, os assassinatos violentos, a era vermelha, a zona do Hulk vermelho. Esse é o tipo de coisa que não consigo tolerar. Não suporto pensar nisso. Tento não ler mais sobre isso. Porque, em algum momento, vou descontar minha agressividade nessas pessoas quando o sistema de controle de negócios delas cair. Elas pagarão pelo que fizeram. No mundo físico, por meio de ações.

O carma não vai pegá-los. As pessoas do mundo real vão pegá-los. O governo proibiu a alimentação dos sem-teto e os cristãos de todo o mundo estão em silêncio, sem fazer nada a respeito. A falta de moradia agora é ilegal em alguns lugares. Você nem sequer ouve falar sobre isso em uma igreja.

Esses falsos pregadores. Não se ouve falar disso em uma sinagoga, uma mesquita, um templo budista, em nenhum lugar da religião. Eles nem sequer falam sobre esse fato.

As pessoas de uma religião que se autoproclama moral não estão fazendo nada quando a própria obra de Cristo está sendo assassinada por lixos imorais seguidores de ordens. E vou dizer dessa maneira, porque tenho coragem. Isso é uma vergonha. E os cristãos que a seguem são uma vergonha absoluta. São um lixo tão grande quanto aqueles policiais que estão impedindo a alimentação de pessoas sem-teto.

Pedofilia institucionalizada e seus protetores.

Esses caras não me deixam tão irritado quanto a polícia que impede a alimentação dos sem-teto ou a cura de crianças doentes. Esses caras são apenas animais psicopatas. É como ficar com raiva de um tigre por comer um bebê em um vilarejo. Eles são animais.

Eles só precisam ser abatidos como uma fera voraz. Ponto final. As outras pessoas estão alegando que, de alguma forma, são morais e estão fazendo algo bom ao mesmo tempo em que estão impedindo as boas ações.

Assista ao Cannabis Destiny, o documentário chamado Cannabis Destiny. Você ficará enojado. Um garoto de oito anos morre porque a polícia o impede de entrar com seu medicamento à base de maconha.

Vou lhe dizer uma coisa. Graças a Deus não tenho filhos. Porque eu protegeria de forma assassina meus filhos e seus direitos se os tivesse. Estou lhe dizendo, se alguém tentar impedir que meu filho não morra, você ficará CHEIO de buracos. É por isso que talvez seja melhor eu não ter filhos. Mas é assim que eu os protegeria.

A praga dos padres pedófilos é uma crise extrema em todo o mundo. A maior parte da chamada comunidade cristã não acredita que esse problema sistemático seja uma epidemia e não investigará e perseguirá esses criminosos.

Refiro-me ao julgamento do Vaticano corrupto e infestado de pedófilos, e às forças policiais, que têm um histórico de proteção à pedofilia e até mesmo de participação nela. Vou lhe dizer uma coisa. A polícia, que estava envolvida nas grutas satânicas das quais participei de rituais, estava protegendo os satanistas. Eles trabalhavam com os satanistas e os protegiam.

Conto às pessoas uma história de um ritual, na Vulper, que aconteceu em 1997, quando participei de um ritual em Whitehall, Maryland, no norte de Maryland, ao sul da fronteira entre a Pensilvânia e Maryland. Foi em uma grande mansão em Maryland, muito além de uma casa comum de classe alta, mas não como o que você chamaria de uma mansão de estilo familiar. Uma casa muito, muito grande, com muito espaço aberto, muita terra ao redor.

Eles realizaram um ritual satânico nessa casa, no porão. Depois disso, foram servidos alimentos e bebidas e os satanistas se reuniram, conversaram e planejaram. Do lado de fora da casa do ritual, durante todo o tempo, havia um policial de Maryland protegendo a casa para o ritual satânico.

Lá dentro, um satanista o observava vigiando a casa pela janela de vidro do meu átrio, enquanto comia, conversava comigo, rindo histericamente, maniacamente do policial e dizendo: “Há cães, há animais, há gado, e eles nos protegem”.

Eles fazem nossas vontades e nos protegem. Eles nem mesmo entendem como os usamos. Nós os usamos como o lixo que são, os jogamos fora e eles continuarão nos protegendo enquanto jogarmos alguns pedaços de papel sem valor.

Rindo histericamente do policial, que era um dos seguidores de sua ordem de lacaios. Sabia o quanto ele tinha controle absoluto sobre sua mente e estava zombando dele.

E é isso que eles fazem, e são recompensados com mais lealdade de seus cães. Eles estão lá para servir e proteger a classe dominante, a classe dos padres pedófilos. É para isso que a polícia existe. A Igreja Católica também continua protegendo e capacitando os padres pedófilos, subornando as famílias e depois transferindo o infrator ou o padre para novas paróquias para que possam repetir os crimes mais uma vez.

As instituições da Igreja e do Estado e o conluio com sindicatos do crime organizado em todo o mundo são os facilitadores, contribuintes e protetores de pedófilos criminosos cruéis em todo o mundo. Cada centavo colocado em seu prato de coleta contribui para financiar essa corrupção profana.

A igreja transfere esses parasitas de paróquia em paróquia para encobrir seus crimes e depois paga a família da vítima em troca de seu silêncio. As famílias que aceitam esses pagamentos são tão podres quanto os que cometem esses crimes hediondos. Possivelmente ainda mais, pois permitiriam que isso acontecesse com seus próprios filhos, que deveriam proteger.

Vou lhes dizer uma coisa: essas organizações estão trabalhando com sindicatos mundiais de gangues da máfia do crime organizado para traficar essas crianças. E até que as pessoas tenham coragem de detê-las fisicamente, elas continuarão fazendo o que fazem. Porque eles são apenas animais que fazem o que fazem. Usem sua imaginação para entender o que quero dizer com isso, pessoal. Sejam tão criativos quanto quiserem.

O que realmente significa oferecer a outra face? O adágio do Novo Testamento oferecer a outra face significava continuar tentando levar a verdade às pessoas com as quais você se importa. Mesmo que você seja rejeitado, ridicularizado, chamado de louco, você deve suportar esse tipo de rejeição de sua mensagem da verdade para que possa plantar uma semente que possa eventualmente brotar e crescer em outras pessoas até o ponto em que elas despertem e percebam o que você está ensinando a elas. É isso que significa oferecer a outra face.

Os falsos cristãos ensinam que devemos nos engajar no perdão incondicional sem o pré-requisito moral do remorso. Isso significa que a outra pessoa está de fato arrependida pelo que fez. Isso não é o verdadeiro perdão. Isso é o que a versão falsamente cristã de oferecer a outra face diz que ajudará a nivelar as cicatrizes em seu rosto. O verdadeiro perdão não significa continuar a desculpar o cometimento intencional de atos errados inúmeras vezes.

Isso é, na melhor das hipóteses, uma atitude ingênua e, na pior, uma cooperação com o mal. O verdadeiro perdão é diferente de “deixar para lá” ou aceitar que uma ação violenta ocorreu e não pode ser desfeita.

O verdadeiro perdão é sempre uma via de mão dupla que envolve remorso ou arrependimento por parte do malfeitor e a disposição de dizer a verdade a respeito do mal que ele fez e de cessar o envolvimento em seu comportamento violento anterior.

É aí que o verdadeiro perdão e a reconciliação devem sempre começar, com um ato de arrependimento.

Pacifismo, um anticristo, se é que algum dia existiu. O pacifismo é, sem dúvida alguma, a ideologia mais deplorável e de autoaversão da face da Terra.

Eu diria que o pacifismo é mais deplorável e detestável do que o satanismo. Se você me desse a opção de escolher o tipo de pessoa com quem conviver, pacifista ou satanista, escolheria o satanista em um piscar de olhos. Sabe por quê? Pelo menos eles não vão se deixar ser sacaneados repetidas vezes. Ao passo que um pacifista vai, porque ele se odeia.

Os pacifistas são criaturas que odeiam a si mesmos e querem o sofrimento que um psicopata lhes infligirá. Isso é o quão deplorável um pacifista é. Jesus não era um pacifista. Metam isso na cabeça, falsos cristãos que existem por aí.

Um pacifista é uma pessoa que nunca agirá com força para se defender ou defender qualquer outra pessoa em qualquer circunstância. Essa ideologia abre caminho para a submissão e a escravidão de toda a humanidade à mercê de psicopatas que violariam sua soberania e seus direitos infinitamente.

Pacifistas não entendem a diferença entre violência, que é um comportamento coercitivo e errado no qual ninguém deveria se envolver, e força autodefensiva, que é um direito que, infelizmente, muitas vezes é necessário contra aqueles que violariam a vida e os direitos, sem o direito de fazê-lo.

O pacifismo nada mais é do que um eufemismo para a mentalidade de vítima. E não tem nada a ver com o verdadeiro cristianismo. Os pacifistas transformarão todos nós em vítimas. Os pacifistas são derrotados e comidos. É isso o que acontece com os pacifistas.

Um pacifista não tem nenhum autocuidado interno profundo e real. Porque, se tivesse, agiria contra alguém que o oprimisse e lhe tirasse seus direitos. Isso aconteceria se eles se amassem e amassem os outros o suficiente para dizer: “Você não irá tirar meus direitos nem os de ninguém. E se eu tiver que enfrentá-lo no domínio físico, farei isso”.

Nenhum cristão verdadeiro jamais afirmaria ser um pacifista. Os pacifistas deixariam todas as formas de mal neste mundo correrem soltas.

O adágio do Novo Testamento ‘ame seus inimigos’ foi feito para ser entendido em um nível espiritual, não literal.

Posso olhar para um inimigo absoluto que está atacando meus direitos e minha liberdade e dizer: “Eu o amo no nível do domínio espiritual, mas você não pode ficar aqui”. E depois eliminá-lo se ele se recusar a parar de violar os direitos. Eu amo essas pessoas em um domínio espiritual porque sei que são almas destruídas. Mas isso não significa que vou permitir que o mal continue sem ser desafiado. Não há nada de cristão nisso. Não há nada de santo nisso. Nada de bom.

Na pior das hipóteses, esse foi outro exemplo de disposições inimigas escritas nas escrituras pelos próprios inimigos dos verdadeiros cristãos. Amar seus inimigos significa simpatizar com o quanto alguém deve estar destruído no nível da alma para cometer os tipos de atos malignos que está cometendo.

Não significava apenas permitir que continuassem fazendo o mal sem desafios e com total impunidade. Jesus também não advogava o pacifismo no sentido mental e espiritual. Ele não ensinava às pessoas conscientes a simplesmente permitir que outros fossem complacentes em sua ignorância. Porque ele sabia da interconexão de todas as pessoas e sabia que tipo de mal tal ignorância geraria para todos.

Essa é a ideia de que alguém dirá: "todo mundo tem o direito à sua ignorância”. Não, eles não têm. Eles têm o direito a certos tipos de ignorância. Posso ser ignorante sobre como fazer um vaso de argila com argila de cerâmica. Tenho todo o direito de permanecer ignorante sobre não saber fazer cerâmica. Não tenho o direito de ser ignorante sobre a liberdade, o que a liberdade realmente significa, quais são realmente meus ou seus direitos. Esse direito não existe na natureza, senhoras e senhores.

Ele sabia que esse tipo de ignorância nos outros só geraria destruição absoluta e caos para todos no mundo. Aqui está o que ele disse sobre o “pacifismo” mental e espiritualmente: "Não pensem que vim trazer paz à Terra. Não vim trazer paz, mas a espada.

Porque vim trazer desavença entre o homem e seu pai, entre a filha e sua mãe, entre a nora e sua sogra. Os inimigos do homem estarão dentro de sua própria casa. Aquele que ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim. Aquele que ama seu filho ou filha mais do que a mim não é digno de mim”.

Isso significa que se você quiser aceitar mentiras, terá que estar por conta própria. Mesmo que sejam membros de sua própria família, quando realmente chegar a hora de ter que fazer algo para tomar uma ação no mundo real contra a violação de seus direitos e ações que estão levando à sua escravização.

Jesus defendia uma rebelião justa contra a falsa autoridade, até mesmo um possível conflito armado em apoio à verdade.

Existe algo chamado rebelião justa, uma forma de autodefesa realizada em proteção à soberania individual contra falsas reivindicações de autoridade e governança.

Os primeiros cristãos eram na verdade militantes contra o governo romano e mantinham um estado de prontidão semelhante a uma milícia.

Jesus disse a seus primeiros seguidores para ficarem preparados o tempo todo com uma bolsa, ou seja, um estoque de moedas ou dinheiro usado naquela época.

Para ficarem abastecidos com uma bolsa ou o que era conhecido como um alforje, uma pequena bolsa que poderia ser levada consigo, uma bolsa de emergência contendo alimentos, dinheiro, ferramentas, utensílios e outros suprimentos. Também disse a eles para ficarem prontos com uma espada, e isso não é uma alegoria, ele quis dizer uma espada romana física. O padrão militar da época.

O Novo Testamento até enfatizou o quão importante Jesus achava ter uma espada militar romana, visto que disse a seus discípulos que se não tivessem dinheiro suficiente para uma espada, para literalmente vender suas roupas e comprar uma, para conseguir dinheiro suficiente para poder comprar uma espada romana.

E vou lhe dizer a mesma coisa sobre pessoas que possuem fuzis de combate. Se você não sabe como comprar ou usar um fuzil de combate, está pedindo para ser exterminado. E é por isso que eles querem tirar as armas das pessoas. E adivinhem? Eles nunca, jamais conseguirão isso nos Estados Unidos da América.

Não sem muita matança a ponto de tornar a maldita terra vermelha. Toda a terra seria vermelha, até o pescoço. Acreditem em mim, os americanos nunca desistirão de suas armas sem uma GUERRA!

Isso não foi uma declaração alegórica, como muitos cristãos de fé constantemente tentam afirmar. Peguem seus fuzis de combate e nunca os entregue. As pessoas deveriam saber como usar armas de estilo militar. Se você se considera um ativista da liberdade, um verdadeiro cristão, deve saber como usar armas de estilo militar para se defender e proteger seus entes queridos contra o mal no mundo.

Mude o que devemos mudar e aceite o que é inevitável. Isso é verdadeiro discernimento espiritual. O ato de aceitar Cristo no cristianismo falso de alguma forma absolve magicamente alguém de todos os seus pecados, sem precisar mudar sua mente, seu coração, ou seu comportamento, ou mesmo aprender o conhecimento do que significa ser semelhante a Cristo, que é o que significa aceitar Cristo.

Toda a responsabilidade é externalizada e colocada na figura de Jesus, que morreu por nossos pecados, para que pudéssemos ser absolvidos de nossa responsabilidade pessoal pelas condições continuamente degradantes do mundo ao nosso redor.

Esse falso dogma cristão é o principal pretexto e impede o trabalho no mundo real, a mudança positiva em todos os níveis. Gandhi disse sobre esses tipos de falsos cristãos: “Gosto do seu Cristo, mas não gosto dos seus cristãos. Seus cristãos são muito diferentes do seu Cristo”. Isso é o que chamo de ministério da falta de responsabilidade.

Só precisamos acreditar em algo. Não precisamos de fato fazer boas obras no mundo.

O texto original da oração da serenidade de Reinhold Niebuhr resume muito bem a compreensão do conceito espiritual de aceitação versus mudança. Ela diz: “Deus, dai-me a serenidade de aceitar as coisas que não posso mudar, coragem para mudar as coisas que posso e sabedoria para distinguir uma coisa da outra”.

Belo texto para uma oração. Essa oração nos mostra o tipo de discernimento que devemos ter. Embora a escravidão seja a condição humana atual, essa condição pode e deve ser mudada, não aceita.

As leis da natureza, entretanto, não podem ser alteradas. A humanidade ainda não desejou que a condição humana mudasse porque continuamos a ignorar as leis da natureza, que regem as consequências da condição humana.

Aceite o que não pode mudar e mude o que não pode e não deveria aceitar. Os verdadeiros cristãos têm discernimento sobre o que deve ser mudado e o que não pode ser mudado.

Eles reconhecem as leis imutáveis do universo e trabalham em conjunto com essas leis para mudar a atual condição humana usando o poder da vontade. ‘Eu Irei é a frase mais poderosa que podemos dizer para criar mudanças reais no mundo. Fale-a, mas depois faça.

A compreensão dos fatores causais e das leis universais nos ajuda a mudar nossa realidade manifestada a partir do nível causal, o único lugar a partir do qual é possível mudar o efeito. Essa é a diferença entre o plano da causalidade e o plano dos efeitos.

O plano da causalidade é o porquê que fundamenta e precede toda a realidade manifestada. Todo o poder de afetar a mudança está aqui e, portanto, é para lá que nossa consciência deve ir, para a compreensão dos fatores causais subjacentes. Nada pode ser mudado a partir do plano dos efeitos.

É lá que as realidades manifestadas que já se formaram, reforçadas, comprimidas e formadas no domínio físico, aconteceram por causa de suas causas. Nenhum poder de afetar a mudança está no plano dos efeitos. Infelizmente, é nesse plano que a consciência humana parece estar presa. Precisamos entender a causalidade.

A verdadeira educação é a única solução.

Estou me preparando para encerrar com alguns dos conceitos finais sobre como podemos realmente sair dessa confusão.

Ajudar a reduzir a ignorância é a melhor maneira de ajudar a reduzir o sofrimento neste mundo, porque o principal fator causal de todo esse sofrimento está firmemente enraizado na ignorância. Um verdadeiro cristão usa seu conhecimento e iluminação espirituais para influenciar a melhoria dos outros.

Há uma infinidade de tipos de trabalhos e esforços com os quais as pessoas decidem se envolver. Há uma infinidade de instituições de caridade e coisas do gênero que só tratam os sintomas do sofrimento do plano dos efeitos.

E, portanto, são ineficazes a longo prazo porque não abordam as questões do conhecimento espiritual e da consciência no reino da causalidade. O fluxo interminável de sofrimento autoinfligido continuará até que a causa subjacente seja identificada e aliviada, que é sempre realizado transformando a ignorância em conhecimento por meio da verdadeira educação.

É por isso que a educação consciente dos pais é tão importante para quem se considera um verdadeiro cristão.

Manly P. Hall disse: “Não é a ira do Todo-Poderoso, mas a estupidez do homem que está causando a maior parte dos problemas”.

Jesus se tornou um professor em seu ministério porque reconheceu que essa era a maneira mais eficaz de reduzir o sofrimento humano autoinfligido e é a mesma razão pela qual me tornei um professor espiritual.

Decidi que, quando compreendi o satanismo em um nível fundamental, compreendi que essas pessoas estavam no controle do mundo e me perguntei: qual é a melhor maneira de ajudar? E a melhor maneira de ajudar é educando as massas. Sem essa educação, o senso comum e a moralidade das massas nunca sairão dessa escravidão.

Este é o significado da história alegórica das bodas de Caná, quando Jesus transformou água em vinho. Ele realizou uma transformação alquímica na consciência. Se os chamados cristãos e o chamado movimento da verdade concentrassem seus esforços e recursos em uma campanha mundial para ensinar a verdade da lei universal, cósmica, moral e natural a todos, imaginem quantas pessoas poderiam ser alcançadas com uma mensagem de autoaperfeiçoamento, consciência e liberdade.

O conhecimento de todos da verdade da lei natural nos tornaria realmente livres. Essa é a dinâmica que precisa ser ensinada e aprendida. Precisamos expor o trabalho das trevas.

Capítulo 5, versículo 1, de Efésios diz: “Não participem das obras inúteis do mal e das trevas, mas exponham-nas”.

Neste momento da história, não fazer nada em relação à destruição contínua da liberdade humana é ser cúmplice desse mal. Ficar em silêncio é cumplicidade com o mal, nesse pequeno versículo. Quantos supostos cristãos estão falando abertamente sobre essa dinâmica em nosso mundo? Apenas um punhado. Eles estão em silêncio e são totalmente coniventes.

Não há muitas igrejas em que você ouvirá sobre a agenda globalista de uma nova e sombria ordem mundial de escravidão. Você não ouvirá isso nas igrejas.

Você só vai ouvir para passar o prato de ofertar, colocar o dinheiro no prato.

Os chamados cristãos quase não discutem esses tópicos, muito menos tentam chegar à raiz dos fatores causais do mal. E menos ainda tentam expô-los. Eles não falam nada e não fazem nada.

Os verdadeiros cristãos fazem a grande obra da criação expondo os trabalhos das trevas para que todos vejam, ouçam e entendam.

Se você não está fazendo esse grande trabalho de expor o mal, não é um cristão de verdade. A lei natural é a lei do um. É a base fundamental de toda a verdadeira moralidade e, portanto, a base fundamental do verdadeiro cristianismo e da verdadeira espiritualidade.

A moralidade está inseparavelmente ligada à liberdade e à ordem, e a imoralidade está inseparavelmente ligada à escravidão e ao caos. É impossível escapar dessa lei universal, pois no nível mais alto de nossa realidade, tudo está conectado, fundamentalmente conectado.

Cada ser está conectado a todos os outros seres por meio da lei do um, de modo que quando um sofre, todos estão sofrendo. Os verdadeiros cristãos sabem que o verdadeiro eu é pura consciência eterna e que somos seres espirituais tendo uma experiência no mundo físico para aprender e crescer em consciência.

Eles sabem que o verdadeiro eu tem uma conexão universal com todos, de modo que nossas ações afetam a todos e ecoam na eternidade. Os verdadeiros cristãos reconhecem a necessidade imperativa de uma moralidade verdadeira e objetiva durante este período de crise em que vivemos.

Os verdadeiros cristãos estudam e compreendem a lei natural para que alinhem suas ações ao verdadeiro comportamento moral. Eles rejeitam as armadilhas da religião exotérica e entendem o conhecimento oculto e esotérico e como ele tem sido usado para escravizar a humanidade. Os verdadeiros cristãos rejeitam a autoridade ilegítima de qualquer ser humano sobre qualquer outro ser humano. Sem mestres, sem escravos.

Acima de tudo, os verdadeiros cristãos ensinam todas essas verdades aos outros porque sabem que a ignorância de qualquer pessoa afeta a liberdade de todos.

Lex Rex, a lei natural é rei.

Um verdadeiro cristão abraça a paz e o princípio da não agressão. O verdadeiro cristão é pacífico, mas não pacifista. Preenchido com o espírito de paz, mas pronto para tomar medidas de autodefesa contra o mal a qualquer momento. Isso é o que realmente significa incorporar um comportamento pacífico. Eles consideram a vida e a liberdade sagradas.

Eles têm profunda reverência por integrar a verdadeira consciência em suas vidas, escolhendo a ação correta para si mesmos. É por isso que se diz alegoricamente que Jesus está sentado à direita do trono de Deus.

A lei moral universal do universo é o único rei da criação. E a consciência de Cristo é o seu mensageiro, o que leva à compreensão e à prática da lei natural e ao respeito e à preservação do livre arbítrio e da soberania individual de toda a humanidade.

O plano de Deus para todos é a grande obra de acabar com a escravidão.

É nossa responsabilidade compartilhada, neste momento, ajudar a acordar outras pessoas falando a verdade continuamente sem remorso. Mesmo que nos sintamos sobrecarregados com essa tarefa e mesmo que isso faça com que todos os envolvidos se sintam desconfortáveis. É preciso ter coragem e persistência para realizar essa tarefa.

A verdadeira grande obra é a árdua tarefa de influenciar os outros a acordarem para a verdade. Trata-se de ajudá-los a perceber que, ao apoiar e tolerar a legitimidade da autoridade e do governo, eles estão, na verdade, apoiando e tolerando a legitimidade da escravidão e que são imorais por fazerem isso.

Em resumo, a grande obra consiste em ajudar as pessoas a abandonar suas falsas religiões. Suas crenças errôneas e dogmáticas, que impedem o progresso da consciência humana ao impedir a recepção da verdade e da lei natural.

A escravidão da humanidade é o problema e a única solução é viver de acordo com a lei natural. Entretanto, pode ser necessário sacrifício para alcançar a verdadeira liberdade. E isso é o que significa a crucificação de Jesus no Novo Testamento.

A palavra sacrifício deriva do adjetivo latino sacre, que significa santo ou sagrado, e do verbo latino facere, que significa criar ou fazer. Pode-se dizer que um verdadeiro sacrifício feito pelas razões certas é um ato verdadeiramente sagrado.

Às vezes, precisamos reconhecer quando é hora de dar tudo, possivelmente até a vida, para fazer a coisa certa e abrir espaço para um novo crescimento. E, graças a Deus, homens e mulheres que foram nossos antepassados no passado, fizeram o sacrifício supremo. Esse tipo de sacrifício nobre é o maior ato de coragem. E é por isso que Jesus foi enviado para ser o leão da Judeia.

A santíssima trindade do cristianismo esotérico está dentro do indivíduo. Ela não é exteriorizada. Trata-se de nossas falsas emoções e ações, nosso corpo, mente e espírito. Encontramos a verdadeira trindade olhando para dentro de nós mesmos e alinhando nossos pensamentos, emoções e ações ao nosso interior, o modo como pensamos, sentimos e agimos, e que não haja contradição entre esses três modos de consciência.

Esse é um ato de verdadeiro respeito próprio, e isso vem de uma longa e profunda interseção de olhar para si mesmo. O verdadeiro cristianismo tem a ver com aprimoramento constante, nunca com a perfeição.

Como já falei hoje, estou longe de ser perfeito, não tenho a pretensão de ser perfeito e ninguém deveria ter. Estamos no domínio físico, somos seres humanos com falhas em algum nível e não somos perfeitos, não somos entidades semelhantes a Deus.

Para fazer a jornada de um cristão de fé para um cristão verdadeiro, é preciso cancelar a assinatura de todos os fatores característicos do falso cristianismo descritos anteriormente e avançar na consciência com o conhecimento de que ser esclarecido sobre o que está acontecendo dentro de nós mesmos e no mundo ao nosso redor não equivale à perfeição.

Não existe perfeição nessa dimensão da existência. A consciência de Cristo é uma encarnação viva dos princípios da lei natural aos quais devemos nos esforçar para alinhar nosso comportamento, de modo que nossas escolhas individuais e coletivas não gerem sofrimento autoinfligido.

Ícones religiosos como Jesus, Buda e outros são frequentemente apresentados como seres perfeitos ou que viveram vidas perfeitas, e tudo o que isso faz é criar padrões impossíveis de serem seguidos, que parecem inatingíveis para a pessoa comum, o que a faz parar de tentar. É isso que muitas religiões exotéricas fazem.

Ela diz: “Eu devo ser comparado a esse padrão? Por que se preocupar em tentar fazer alguma coisa? Nunca alcançarei isso”. Porque não se trata de viver uma vida perfeita. Tropeçamos, caímos, e temos de nos levantar, seguir em frente e fazer melhor no dia seguinte.

O verdadeiro padrão pelo qual deveríamos viver não é ser perfeito, mas tentar ser melhor do que éramos ontem e continuar avançando. Conforme estamos caminhando, esse é o verdadeiro caminho espiritual.

Finalmente, o coração sagrado do cristianismo esotérico, porque é disso que se trata, pessoal. Trata-se de amor. Trata-se de amar a si mesmo, de modo que você não permita que seus direitos sejam desrespeitados, seus direitos sagrados dados por Deus.

Trata-se de amar os outros para ajudá-los a sair de sua ignorância, para que parem de criar sofrimento autoinfligido. Trata-se de amor mundial no sentido de álibi, amor que vai além do amor romântico e do amor de um irmão ou irmã ou de um membro da família. É o amor da verdade e é o amor que é certo.

Jesus disse: “Se vós permaneceres em minhas palavras, series verdadeiramente meus discípulos”.

Essa é a essência do verdadeiro coração sagrado do cristianismo, a liberdade.

Senhoras e senhores, muito obrigado por sua atenção hoje.

Share

Share What on earth is happening (WOEIH) -> transcriptions 4 study

Leave a comment

0 Comments
What on earth is happening (WOEIH) -> transcriptions 4 study
Portuguese Translations
Organic translations given to this site owner by native Portuguese speaker(s). All native speakers around the world are encouraged to contact me and do likewise.